Memórias musicais de Steve Carleysmith

Memórias musicais de Steve Carleysmith


We are searching data for your request:

Forums and discussions:
Manuals and reference books:
Data from registers:
Wait the end of the search in all databases.
Upon completion, a link will appear to access the found materials.

No início da adolescência, construí um rádio de duas válvulas com fone de ouvido, sintonizando uma Rádio Luxemburgo que estava se apagando e, deitado na cama, ouvindo curiosidades da BBC como The Clitheroe Kid. Meus pais ouviam bastante o wireless e, para mim, várias músicas temáticas evocam aquela época, como Workers 'Playtime, Forces Favorites e Music While You Work. Eles foram projetados para apoiar o moral e a produtividade das pessoas durante e após a Segunda Guerra Mundial. Em 1940, Eric Coates escreveu Chamando todos os trabalhadores que se tornou a música tema de Music While You Work. Eric Coates também escreveu a conhecida marcha para o filme The Dam Busters.

Friday Night is Music Night na BBC Radio 2 é o programa de música orquestral mais antigo do mundo, um lar de muita música leve como essa. Minha esposa e eu fomos duas vezes para apresentações ao vivo, e foi interessante ouvi-los se juntando à transmissão ao vivo após o aquecimento no início do show.

Vou agora passar para a música muito conhecida Jerusalém. Para mim, isso tem várias conotações. Como você deve saber, este é o hino do WI. Minha mãe estava no coro local do WI, e eu me lembro disso sendo cantado em eventos do WI. Na minha escola, Jerusalém era sempre cantada como a última coisa no final da assembléia, e isso me dá a boa sensação de terminar para as férias. Como estudante, fui a vários shows de formatura, e fui a um Last Night, onde essa música sempre aparece. Não vejo as palavras malucas de William Blake como abertamente religiosas. As "fábricas" provavelmente não são edifícios industriais; alguns dizem que os "moinhos" se referem ao poder da igreja estabelecida. A "terra verde e agradável" pode se referir ao único campo que Blake conhecia bem, em torno de Felpham, perto de Bognor Regis. O poema é certamente sobre a construção de uma sociedade melhor. Parry, que escreveu a melodia, estava preocupado com sua associação com um movimento de extrema direita na época, mas a melodia e a canção foram salvas ao serem adotadas pelo movimento sufragista feminino. A versão que tocarei é cantada por Katherine Jenkins que vi com Darcey Bussell na O2 Arena em Londres em 2007 (com bons lugares perto da frente do show esgotado). Voltarei para Blake mais tarde.

Em casa quando eu era criança, meu pai raramente cozinhava ou lavava roupa, mas sua função era limpar a casa nos fins de semana. Isso ele só poderia conseguir tocando música clássica em alto volume, e isso levou ao que chamo de sua "música do aspirador de pó" - geralmente sinfonias de Beethoven, ou Mendelsohn, ou outra música adequadamente alta, como a de Handel Suíte Water Music. Esta foi composta em 1777 para o Rei George I, alto o suficiente para soar do outro lado do rio Tâmisa, e também acima do som do Hoover. Para mim, ele é uma reminiscência daqueles dias. E é uma ótima música!

4. Eu gostava bastante de música clássica, mas via isso como coisa dos meus pais. Acho que devo ter conseguido muitas informações do NME (New Musical Express). Eu estava em alternativas como o Velvet Underground. Em 1967 comprei uma cópia do famoso vinil Velvet Underground & Nico (banana na frente), mas estava deformada, assim como todas as cópias na loja, então recebi meu dinheiro de volta - algo de que me arrependo profundamente! Agora é classificado como um dos álbuns mais influentes de todos os tempos. Enfim, assim como os Velvets, com um grupo de amigos me interessei pelo blues. Eu não tenho muitos discos do tipo delta blues, pois meu amigo Ross Nimmo tinha uma grande seleção, e nós ouvíamos os dele. Achamos que Robert Johnson era um dos melhores. Ele supostamente vendeu sua alma ao diabo. Isto é Cross Road Blues de 1936.

4. Claro, existem versões fantásticas de direção de Encruzilhada de Eric Clapton, com o já falecido e lamentado Jack Bruce, e o violento Ginger Baker, quando ainda eram Cream. Mas não vou jogar um desses. Eric Clapton mudou-se para o Bluesbreakers de John Mayall em 1965 e produziu o álbum Beano - que não levei para a loja! Eu vi Eric Clapton ao vivo duas vezes, mais recentemente com Helen Logan, e foram ótimos shows, e ele fez álbuns fantásticos (dos quais tenho vários). No entanto, há uma energia bruta em seus primeiros trabalhos que considero de arrepiar a espinha. Aqui está Todo meu amor uma canção do Otis Rush, interpretada por John Mayall e Bluesbreakers com Clapton em 1966.

5. Meus pais compraram um novo radiograma estereofônico, a última novidade em sistemas de música. Por fim, achei um tanto diminuto para minha música, como John Mayall, então fiz dois grandes alto-falantes em gabinetes de aglomerado que prendi ao radiograma. Meus pais devem ter sido muito indulgentes comigo!

Antes das fitas, comprei um rolo de segunda mão para enrolar um gravador portátil e usei-o para ouvir Bluesbreakers em meu carro, um antigo Hillman Husky. O gravador consumiu pilhas enormes - não tenho certeza de como as comprei. Jimi Hendrix também foi um herói e tenho álbuns incluindo o infame Electric Ladyland como aqui. No entanto, me sinto mais conectado a Eric Clapton, que foi deus por um tempo.

Em contraste com todo esse violão poderoso, meus amigos (e minha irmã) começaram a ouvir música clássica e Gustav Mahler era popular. Para a angústia adolescente, havia canções sobre tópicos como a morte de crianças, e eu tinha a adorável Das Lied Von der Erde, a Canção da Terra. Sua 5ª sinfonia foi a fonte da música emocional e melancólica do filme de 1971 Morte em veneza, e aumentou sua popularidade naquela época. No entanto, Mahler fez algumas coisas mais alegres, e a 1ª e a 4ª sinfonias são boas para se ouvir. Aqui está um pouco do nº 4 - coisas adoráveis. Mahler - Sinfonia nº 4 em sol maior.

6. Por volta de 1969, vi Fleetwood Mac de Peter Green no Queen Mary College em Londres, um show memorável. Na juke box da faculdade, as cópias do Green Manalishi e do Black Magic Woman se desgastaram. Fleetwood Mac sobreviveu notavelmente em muitas formas e com vários membros, com padrões musicais extraordinariamente elevados. Christine McVie, você saberá, e ela estava no Chicken Shack quando eles vieram para o clube de jazz e blues da University College, onde eu fazia parte do comitê. Tomei uma bebida no bar, cotovelo a cotovelo com Christine Perfect como ela era então. Eleita a melhor vocalista feminina do Reino Unido naquela época. A propósito, Chicken Shack e San Webb apoiaram um show de John Mayall ao qual participei no Dome em Brighton. De volta ao Fleetwood Mac, e de sua angústia pessoal veio a grande música popular. Isto é Pequenas mentiras de 1987 de Tango na Noite, co-escrito e cantado por Christine McVie com Stevie Nicks, Lindsey Buckingham, John McVie e Mick Fleetwood. 1936.

7. Sempre gostei de música folk britânica, mas pode ser uma cena intimidante com especialistas e opiniões fortes. Eu mergulhei e tenho alguns álbuns folk. Acampamos no Towersey Folk Festival há muitos anos, quando a Oyster Band era popular. Há alguns anos, vi a Fairport Convention no Festival Theatre em Chichester. Minha lista original incluía Sandy Denny em Quem sabe onde o tempo vai, mas provavelmente todos vocês sabem disso muito bem, e não podemos chorar muito. Eu vi a família McCarthy em um concerto de celebração no Royal Albert Hall. Esta melodia, Scan Tester's Country Dance, está no meu CD Rough Music de Eliza Carthy. A melodia vem de um tocador de concertina de Sussex Lewis 'Scan' Tester (1886-1972).

8. Tive várias férias excelentes na costa oeste da Irlanda, perto de Dingle, e o fantástico violino que toca me leva de volta a estar nesses pubs. Você pode notar que Martin Carthy (seu pai) vem a Brighton em junho. Se você gosta de folk, recomendo os Unthanks que vi no ano passado na Igreja de St Bartholomews em Brighton.

Minhas duas músicas favoritas de longa data são provavelmente de Rimsky Korakov Scheherazade e Berlioz ' Symphonie Fantastique. Gosto do Berlioz pela história maluca sobre um amante viciado em drogas e suas visões de morte no cadafalso. Aqui está uma amostra.

Ainda jovem fui levado ao filme do musical Gigi com Maurice Chevalier. Eu tinha cerca de oito anos e achava isso absolutamente horrível, o que me afastou dos musicais por muitos anos. Foi só quando vi A Little Night Music de Sondheim nos anos 1970 que percebi que os musicais podiam ser um pouco mais corajosos e instigantes. No entanto, não há espaço aqui para "Send in the Clowns" et al. O cigano de Sondheim & Styne no Festival Theatre em Chichester com Imelda Staunton foi incrível. Lesley Garrett é uma das minhas cantoras favoritas - tenho vários de seus CDs e a vi ao vivo em Worthing. Ela é conhecida como cantora de ópera, mas eu a vi no musical Carousel em Londres - um ótimo show. Aqui está Lesley Garrett cantando Você nunca andará sozinho de Rogers & Hammerstein de Carousel - você deve saber disso! Inclui a Grimethorpe Colliery Band.

Como Jerusalém, esta é uma música multiuso. Liverpool FC, Celtic, finais da taça, inauguração de Barack Obama (cantada por Renee Fleming, que vai voltar). Ouvir a Grimethorpe Colliery Band me lembra a greve do mineiro e a angústia associada à tolice e teimosia de ambos os lados da discussão. E a terrível ironia é que, por razões ambientais, o carvão está se tornando um combustível inútil.

9. Vamos mudar de Grimethorpe para a Califórnia. Carlos Santana formou sua banda em San Francisco em 1966. Um grande guitarrista e showman. Eu tenho o dele Abraxas álbum, muito tocado e vendido em grande número. Em 2010 vi o Santana no O2 de Londres, aos 63 anos. Mulher de magia negra é uma reformulação de uma famosa canção do Fleetwood Mac escrita por Peter Green. No O2 esta foi a terceira música que ele tocou, com grande aclamação. Minha esposa e eu jogamos muito isso em jantares.

10. Por falar em jantares, minha esposa Chris era uma ótima cozinheira e, na cozinha, adorava ouvir CDs do grupo de crítica satírica Fascinating Aida. Eles chamaram a atenção popular pela primeira vez em uma crítica noturna da Radio 4, muitos anos atrás. Não me lembro qual programa, mas talvez Ned Sherrin estivesse envolvido. Minha esposa e eu vimos a crítica de Fascinating Aida três vezes ao longo dos anos, em Brighton e Worthing. Eles se tornaram mais famosos talvez pelo Voos baratos Música do Youtube que se tornou viral. Você lembra disso? Nós jogamos Essa mesa no funeral da minha esposa, quase três anos atrás.

11. Voltando aos tempos de escola, no sexto ano tínhamos idas à ópera. Comecei com Elektra, de Richard Strauss, que, como você deve saber, é uma ópera expressionista modernista pesada, que não agrada a todos. Gostei, sobrevivi e desde então adoro ópera. Meus pais não gostavam muito de ópera e ela não era tocada em casa. Não sou fã de ópera, mas gosto do espetáculo envolvente e da experiência. É como jogar squash - você apenas se concentra no momento e exclui todo o resto. Entre no fluxo. O Opera pode ser bom na TV ou DVD, mas é melhor experimentado ao vivo. Por exemplo, gostei de ver Mozart em Glyndebourne, Alban Berg na English National Opera, Richard Strauss na Royal Opera House, Johann Strauss em Cardiff e Bizet em Brighton. Richard Strauss é provavelmente meu compositor de ópera favorito. Eu vi Richard Strauss ' Der Rosenkavalier três vezes, mais recentemente no verão passado em Cardiff. Este é um trio no final da ópera, incluindo a famosa soprano Renee Fleming. Este foi o último papel importante de Renee Fleming antes da aposentadoria. Richard Strauss escolheu isso como sua música fúnebre.

12. Logo depois que minha esposa morreu, por acaso eu vi meu ex-chefe 20 anos antes em uma sessão de blues no cais de Worthing. Sua esposa Sue me convidou para um feriado de fim de semana de blues, com colegas de trabalho, a maioria aposentados, e seus parceiros e amigos. As pessoas foram gentis e compreensivas com a minha situação, e agora vou duas vezes por ano a esses fins de semana musicais. Helen é um membro de longa data (fundadora?) Do grupo de blues nos finais de semana e é boa amiga da esposa de alguém com quem me sentei no trabalho há 20 anos. Há uma grande variedade de músicas e boas danças ao som de blues e rock mais animados. Guy Tortora fez um ótimo set uma noite. Paul Jones na BBC Radio 2 disse "Excelente composição. Sutil, bonita. E adorável slide guitar!". Aqui está Guy Tortora O dano foi feito escrito há apenas três anos.

13. O fim de semana musical mais recente foi Stones e Bowie. Achei a banda de tributo aos Stones não ótima, mas a noite de Bowie foi de Starman, que não é um imitador, mas é especializado na vida e na música de Bowie. Ele foi excelente. Como um lembrete, não vou jogar Starman de Starman, mas vou para o original. Isto é Homem das Estrelas pelo próprio David Bowie. Toda a coisa do Ziggy Stardust era maluca, com alienígenas salvando a Terra ou o que fosse. Isso me fez lembrar de William Blake, e uma rápida pesquisa no Google mostrou que outros haviam feito essa comparação. Enfim, isso nos atualiza com a minha história de vida na música, com uma música de 1972!


The Life And Death Of Tower Records, revisitado

No topo do mundo: o fundador da Tower Records, Russ Solomon, acima de sua loja em Sacramento, Califórnia, em 1989.

Cortesia de All Things Must Pass

Hoje em dia, praticamente todo tipo de música imaginável está ao nosso alcance quase a qualquer hora, em qualquer lugar. Mas, durante décadas, obter esse tipo de acesso significava ir até uma loja de verdade, onde os compradores da loja eram reis formadores de gosto. Ao longo da maior parte da década de 1980, e especialmente durante o boom do CD nos anos 90, as locações da Tower Records nos Estados Unidos eram mecas para os fãs de música.

O ator Colin Hanks - filho de Tom - amava tanto Tower que passou sete anos fazendo um documentário sobre a rede. É uma carta de amor para a Tower Records chamada Todas as coisas devem passar.

“A torre ajudou a pavimentar o caminho para a sua identidade”, diz Hanks. "Por falta de uma frase melhor, a música faz as pessoas, às vezes, onde você meio que se apega à música como uma forma de se identificar ou de sua tribo. Consegui isso na Tower Records."

No documentário de Hanks, você vê o fundador Russ Solomon e seu círculo mais íntimo - muitos dos quais estavam lá quando a Tower foi fundada na Califórnia - se divertindo construindo essa coisa juntos.

Todos, desde funcionários a clientes, podiam sentir essas boas vibrações. Durante seus anos de prosperidade, Tower foi um lugar de peregrinação para fanáticos por música - até mesmo para as maiores estrelas do mundo. Elton John conversou com Hanks sobre como ele iria a uma das lojas de Los Angeles toda semana para comprar pilhas de novos lançamentos.

"Nas manhãs de terça, eu estaria na Tower Records", diz John no filme. "E era um ritual, e era um ritual que eu amava. Quer dizer, a Tower Records tinha tudo. Essas pessoas sabiam o que faziam. Eles estavam realmente em sua bola. Quer dizer, eles simplesmente não eram funcionários que trabalhavam na uma loja de música. Eles eram devotos da música. "

Solomon os deixou decidir o que cada loja abastecia, diz Hanks.

"New Orleans tinha uma enorme seção de música tradicional Nashville tinha uma seção country gigantesca", diz ele. "A Tower era, em essência, um bando de lojas de discos tradicionais, sabe? Embora todas estivessem sob a mesma bandeira, o mesmo nome, a mesma sinalização amarela e vermelha, cada uma era administrada individualmente pelas pessoas em as lojas: os balconistas, os compradores de cada loja individual, o departamento de arte de cada loja individual. Cada loja representava sua cidade ou seu bairro na cidade. Todos eles tinham seu próprio estilo. "

A década na música: anos 2000

2006 e a morte da Tower Records

Tower começou como uma ramificação da drogaria do pai de Solomon em Sacramento, Califórnia. Ele conta a Hanks como conseguiu que seus amigos e parentes o ajudassem a decolar.

“Felizmente, meu primo Ross era um construtor - elétrico, carpintaria”, diz Solomon no documentário. “E então ele se ofereceu, 'Oh, vou descer e consertar, colocar um pouco de iluminação lá, colocar um novo piso e pintá-lo.' E foi isso. Ele entrou e fez isso. "

O círculo interno de Solomon na Califórnia acabou se tornando um dos chefes da Tower, e essa atmosfera familiar se espalhou à medida que a empresa se expandia. Jason Sumney começou como balconista na loja da Tower na 4th com a Broadway em Nova York antes de se mudar para suas operações regionais.

"Nunca na minha vida antes, e provavelmente nunca mais, terei uma experiência assim", diz Sumney. "Todo mundo se dava bem e era uma vibração incrível. Todos os dias eram divertidos, sabe? Até os baixos eram divertidos."

Com o passar dos anos, a Tower cresceu e cresceu. Tornou-se um império multinacional, com lojas e licenciados de Londres a Buenos Aires a Tóquio. Mas em 2006, a Tower declarou falência.

Ed Christman tem reportado sobre varejistas de música por Painel publicitário revista há 26 anos. “Demorou oito ou nove anos para se desenvolver”, diz Christman. "As coisas que provaram ser um erro, em retrospectiva, ocorreram em 1998."

Christman diz que a Tower não estava sozinha na fome de se expandir, o que acabou sendo sua ruína.

“Havia pelo menos 10 ou 15 grandes redes que competiam para ser a força dominante na música, e a Tower decidiu assumir uma dívida de US $ 110 milhões”, diz Christman. "Então, eles fizeram uma oferta de títulos e usariam essa dívida para impulsionar a expansão global. Era apenas o clima do dia - era crescer e ir embora."

Os concorrentes da Tower não eram apenas outras lojas de discos. Grandes lojas como Wal-Mart, Target e Best Buy também queriam o dinheiro dos fãs de música. Mas eles descontaram drasticamente os preços dos CDs para que os clientes passassem por suas portas, na esperança de que eles também empilhassem coisas como roupas, rações para animais de estimação, baterias e TVs em suas cestas de compras.

"O que eles fizeram foi olhar para a cesta - a cesta era lucrativa?" Christman diz. "Então, se havia muitos outros itens lá, eles não se importavam se era música ou não. Enquanto na loja de discos, Tower Records, eles precisavam de tudo na cesta para serem lucrativos."

A Tower não podia se dar ao luxo de fazer muitos descontos em CDs. E a Tower não conseguiu persuadir os consumidores a gastar algo entre US $ 12 e US $ 19 por um álbum. Solomon não conseguiu persuadir as gravadoras a baixarem seus preços ou começarem a vender CD singles.

Naquela época, os fãs de música já haviam começado a recorrer a outras opções, desde sites de compartilhamento de arquivos como o Napster até lojas de download como o iTunes.

Hanks afirma que Tower começou a agir como se fosse grande demais para quebrar.

“A Tower, em quase 40 anos, sempre cresceu”, diz Hanks. "Sempre deu dinheiro. Nunca perdeu dinheiro... Bem, acho que havia muitas coisas que Tower não esperava."

Você pode ouvir isso em um vídeo promocional de Russ Solomon em 1994, no qual Solomon diz: "Quanto a todo o conceito de enviar algo para a casa de alguém, isso pode acontecer algum dia, com certeza. Mas acontecerá por um longo período de tempo, e seremos capazes de lidar com isso e mudar nosso foco e mudar a forma como fazemos negócios. No que diz respeito à sua coleção de CDs - e nosso estoque de CDs, nesse caso - vai durar muito tempo, muito tempo, acredite em mim. "

Solomon e Tower tiveram seus críticos, nenhum dos quais está no documentário de Hanks. Na década de 1990, por exemplo, a Tower - junto com outras megacidades como HMV e Virgin - costumava ser acusada de tirar do mercado varejistas independentes de música pop e mães. Mas para Hanks, fazer este filme foi uma chance de revisitar um tempo e uma experiência que o moldou.

“A Tower era um desses lugares. Era especial, era único”, diz ele. "Você forjou uma conexão com ele, sabendo ou não. Eu não sabia quando era criança, e foi só quando comecei a fazer este projeto que percebi o quão informativo foi para mim quando estava crescendo. E é assim para muitas pessoas. "

Mesmo que já tenha se passado quase uma década desde que o Tower fechou suas portas, sua memória ainda brilha forte para os fãs cujos gostos musicais foram moldados abaixo daqueles sinais amarelos e vermelhos.


Golden Bear (boate)

O Golden Bear começou como The Golden Lion Cafe na 226 Main Street em Huntington Beach e foi fundado por Harry Bakre em 1923. O nome foi mudado para The Golden Bear Cafe em 1926 para evitar quaisquer questões legais com o ex-empregador de Bakre com o mesmo nome. Mudou-se para sua localização na 306 Pacific Coast Highway (então chamada de Ocean Avenue) em 29 de junho de 1929, pouco antes da Grande Depressão. Ele continuou como um restaurante até que Bakre se aposentou em 1951. Depois disso, o prédio foi o lar de vários restaurantes. Após a morte de Bakre em 1957, o prédio estava vazio, exceto por uma loja de materiais de arte em sua seção frontal.

Em 1963, Delbert Kauffman assumiu e estabeleceu o Golden Bear como um clube de música folk. O primeiro ato que apresentaram foi Les Baxter's Balladeers, apresentando um jovem David Crosby. [1] Outros artistas que foram contratados no Golden Bear sob Kauffman foram Hoyt Axton, Lovin 'Spoonful e Buffalo Springfield. Bob Dylan apareceu em um show do Golden Bear Presents no Long Beach Wilson High School em dezembro de 1964. [2] Durante este tempo, Peter Tork, mais tarde do The Monkees, trabalhou como lavador de pratos no clube antes de se tornar famoso como músico. [3] [4] No entanto, em 1966 Kauffman estava falido e fechou o clube. Kauffman mora em Takilma, Oregon, há décadas.

George Nikas reabriu o clube em 1966 e começou a contratar bandas de rock conforme a música evoluía. Os músicos que se apresentaram durante este período incluíram Janis Joplin, [5] Neil Young, The Flying Burrito Brothers, [6] Jimmy Reed, [7] Seals and Crofts, Richie Havens e outros. The Doors e Jimi Hendrix também foram relatados como tendo tocado no Golden Bear, [8] [9] embora outras fontes indiquem que Kauffman e Nikas declararam o contrário. [10] No início dos anos 1970, Nikas sentiu que estava pronto para vender o negócio.

Em 1974, os irmãos Rick e Chuck Babiracki e a esposa de Rick, Carole, compraram o Urso de Ouro. Eles continuaram a reservar uma lista diversificada de músicos, como Jeff Lorber Fusion com Kenny G, Muddy Waters, Jerry Garcia, [11] Patti Smith, The Ramones, The Bongos, Agent Orange, Arlo Guthrie, [12] Maria Muldaur [13] ] e Peter Gabriel.

Em 1979, o artista Wyland, que morava ao lado, pintou a parede externa do prédio. Mostrou notas musicais e alguns dos artistas que se apresentaram no local. Wyland mais tarde se tornou famoso por suas Whaling Walls. [14]

O Golden Bear fechou devido aos custos envolvidos na reforma do prédio de tijolos para conformidade sísmica e na reconstrução do centro de Huntington Beach. A última apresentação foi em 29 de janeiro de 1986, de Robin Trower.

Em 1990, foi feita uma tentativa de ressuscitar o Urso de Ouro como "Urso de Ouro da Pimenta" no novo prédio no local original. Um desconhecido Will Ferrell fez sua estreia no stand up comedy no clube durante este período. No entanto, fechou após seis meses. Em 2010, Joe Daichendt, co-proprietário do Pierside Pavilion, propôs um novo Golden Bear de US $ 2 milhões. O local seria construído no local das salas de cinema que fecharam em 2006. [8]

Huntington Beach comemorou as memórias do clube para a celebração do centenário da cidade em setembro de 2009, com uma reunião de dois dias do Golden Bear no Hilton Waterfront Beach Resort, a poucos quarteirões do local original. Honk, David Lindley, Ray Manzarek do The Doors, Nitty Gritty Dirt Band, Chris Hillman e Herb Pederson estavam entre os artistas para o aniversário de 100 anos da cidade. [15] Em 2014, a cidade revelou uma placa comemorativa em homenagem ao local na parede do Pavilhão Pierside. [16]


Lista de pessoas com sinestesia

Esta é uma lista de pessoas notáveis ​​que alegaram ter a sinestesia da condição neurológica. Em seguida, há uma lista de pessoas que muitas vezes são erroneamente consideradas como tendo sinestesia porque a usaram como um artifício em sua arte, poesia ou música (chamados de pseudo-sinestetas).

As estimativas de prevalência de sinestesia variam amplamente, de 1 em 4 a 1 em 25.000 - 100.000. No entanto, a maioria dos estudos baseou-se no relato dos sinestetas, introduzindo um viés de autorreferência. [1]

Os meios de comunicação, incluindo o Pitchfork, notaram criticamente o número considerável de artistas musicais dos anos 2010 em diante que afirmam ser sinestetas, observando que "sem testar literalmente cada pessoa que aparece na imprensa como um sinesteta, é extremamente difícil dizer quem o tem e quem está mentindo descaradamente em nome do prestígio cultural "e que as alegações de experimentar a sinestesia podem ser empregadas" como uma via expressa para o gênio criativo ". [2]


Freedom Riders enfrentam derramamento de sangue no Alabama

Em 14 de maio de 1961, o ônibus Greyhound foi o primeiro a chegar em Anniston, Alabama. Lá, uma multidão enfurecida de cerca de 200 brancos cercou o ônibus, fazendo com que o motorista continuasse passando pela rodoviária.

A multidão seguiu o ônibus em automóveis e, quando os pneus do ônibus estouraram, alguém jogou uma bomba dentro do ônibus. Os Freedom Riders escaparam do ônibus quando ele explodiu em chamas, apenas para serem brutalmente espancados por membros da multidão ao redor.

O segundo ônibus, um veículo da Trailways, viajou para Birmingham, Alabama, e aqueles passageiros também foram espancados por uma multidão de brancos furiosos, muitos dos quais brandiam canos de metal. O Comissário de Segurança Pública de Birmingham, Bull Connor, afirmou que, embora soubesse que os Freedom Riders estavam chegando e a violência os aguardava, ele não postou proteção policial na delegacia porque era o Dia das Mães.

Fotografias do ônibus Greyhound em chamas e dos pilotos ensanguentados apareceram nas primeiras páginas dos jornais de todo o país e do mundo no dia seguinte, chamando a atenção internacional para a causa Freedom Riders & # x2019 e o estado das relações raciais nos Estados Unidos.

Após a violência generalizada, os funcionários do CORE não conseguiram encontrar um motorista de ônibus que concordasse em transportar o grupo integrado, e eles decidiram abandonar o Freedom Rides. No entanto, Diane Nash, uma ativista do SNCC, organizou um grupo de 10 alunos de Nashville, Tennessee, para continuar os passeios.

O procurador-geral dos EUA, Robert F. Kennedy, irmão do presidente John F. Kennedy, começou a negociar com o governador John Patterson do Alabama e as empresas de ônibus para garantir um motorista e proteção estatal para o novo grupo de Freedom Riders. As viagens finalmente foram retomadas, em um ônibus da Greyhound saindo de Birmingham sob escolta policial, em 20 de maio.


Top partituras de piano

Em Musicnotes.com, temos a partitura de piano que você está procurando. Dos sucessos mais recentes do rádio à ópera e clássicos da Broadway e através dos fundamentos da Disney, temos centenas de milhares de arranjos de partituras digitais profissionais, oficialmente licenciados, todos disponíveis para download digital imediato. Encontrar partituras de música de piano nunca foi tão fácil e, com nosso extenso catálogo, você com certeza encontrará o que precisa.

Se você é novo no mundo das partituras digitais, gostaríamos de apresentá-lo ao futuro. No Musicnotes, o processo é simples. Chega de ir à loja e vasculhar pilhas de música para encontrar a peça que deseja. Você simplesmente procura sua música, faz sua compra usando nosso sistema de compra fácil e baixa e imprime sua partitura & ndash tudo do conforto de sua casa.

Com partituras digitais, o processo não é apenas simples, mas também de grande valor. Chega de comprar um livro inteiro de partituras para obter a música que você realmente deseja. Basta digitar o compositor ou artista que você está procurando e percorrer os resultados! O melhor de tudo é que temos as partituras de piano que você não encontra em livros tradicionais, devido a uma série de músicas ou artistas que estão saindo de produção. Esta é uma ótima notícia para músicos que procuram músicas difíceis de encontrar.


Memórias musicais de Steve Carleysmith - História

Foto Copyright 2008 Alan White. Todos os direitos reservados. . Casa do Mississippi John Hurt, Avalon, Mississippi

“Vocês todos precisam se lembrar que no final vamos superar isso, vai dar tudo certo. Para todas aquelas pessoas que estão achando isso difícil no momento, o sol vai brilhar sobre você novamente e as nuvens irão embora. Amanhã será um bom dia. & Quot
- Capitão Sir Tom Moore (1920-2021)

Uma calorosa recepção ao Earlyblues.com original. Agora em seu 21º ano, acredita-se que este seja o site de música de blues mais antigo e atualizado continuamente na Internet. O Blues está vivo e bem aqui! Navegue pelo site para uma vasta gama de material de blues: o 'UK & amp European Blues Festival Guide', fotografias e resenhas de festivais de blues no Reino Unido / Europa / EUA, turnês / shows de blues, entrevistas com artistas / bandas, a história do blues em ensaios e artigos, projetos de pesquisa, listas de referência, livros / CDs / DVDs / estações de rádio de blues recomendados, travelogues, itens de notícias gerais de blues, um shopping center de blues, receitas de blues, locais de descanso de blues, links para outros sites de blues, mídia social e fóruns de discussão.

Com a seção de história do Blues recriada e amplamente expandida (veja os detalhes abaixo), 'Earlyblues.com' agora funciona como dois sites interligados ('Earlyblues.com' e 'Earlyblues.org'). Existem bem mais de 1.600 páginas da web, mais de 11.000 imagens, mais de 120 entrevistas, mais de 120 ensaios e artigos (principalmente exclusivos para Earlyblues.com), portanto, certifique-se de visitar com frequência, pois esses sites são atualizados com muita frequência, com uma extensa quantidade de material ainda para adicionar a várias seções do site. Lembre-se de que este site Earlyblues.com original tem mais de 20 anos e a tecnologia mudou um pouco desde então - embora o site seja bastante antiquado em estrutura, tem uma riqueza de blues em seu coração - e ainda está batendo! Earlyblues.org (a seção de história recentemente ampliada), no entanto, é bastante jovem, tendo apenas alguns anos de idade.

Procurando por um artista ou banda de blues específico, verifique isto primeiro: Índice de artistas e bandas de blues - indexando artistas e bandas de amplificadores apresentados no site 'Earlyblues.com' ou experimente as fotos de festivais de blues para obter uma lista de festivais de blues anteriores ou experimente O NewsStand - todos os tipos de fragmentos do mundo do blues. Caso contrário, navegue pelos principais quadros de avisos listados abaixo - cada um fornecendo as atualizações mais recentes por categoria ou o 'Early Blues Treasure Trove' de links diversos para todas as outras seções do site . Forneci aos visitantes regulares os cinco links principais acima e três abaixo.

Se o seu interesse é pela história da música Blues:

Confira www.earlyblues.org um site separado que é dedicado à história do blues, substituindo efetivamente a seção de história deste site. Você pode encontrar mais detalhes abaixo (clique aqui).

Se o seu interesse é pela história da Música Gospel:

Visite o site da irmã www.earlygospel.com especializado em música gospel antiga e especialmente em cantores menos conhecidos, de espirituais e canções sagradas na década de 1870 até a evolução da música gospel até o final da Segunda Guerra Mundial.

Visite o site associado www.undergroundrailroad.org.uk - fornecendo uma visão sobre o movimento da Underground Railroad durante a época da escravidão nos Estados Unidos (consulte a seção de pesquisa 'Slave To The Blues' abaixo).

V isit o site irmão www.earlyrnb.com, dedicado à história da música original de Rhythm & amp Blues originária do blues e das tradições da música gospel do início dos anos 40 ao início dos anos 70, incorporando seus primeiros derivados do Rock and Roll, Soul, Funk, Doo wop, British R & ampB, New Orleans R & ampB, Reggae e Ska.

Confira a Federação UKBlues, uma Federação pan-britânica que promove e apóia o Blues no e do Reino Unido em todas as suas formas e estilos, incorporando o Desafio UKBlues e os Prêmios UKBlues. The UKBlues Federation is an Active Member of the European Blues Union and an Affiliate of the Blues Foundation, the first and only Affiliate in the UK.

Earlyblues.com / EarlyBlues.org / Earlygospel.com / EarlyRnB.com / Undergroundrailroad.org
w ebsites created and managed by Alan White
(UKBlues Federation Emeritus Board Member - Historian and Archivist)

___________________________________

'Blues Unsung Hero of the Year Award 2020 Winner'

#EuropeanBluesAwards
'Lifetime Contribution Award 2014 Winner'
"Very richly deserved in my opinion.
Alan does sterling work for the blues and has done for many many years".
-
Paul Jones, Paul Jones Show, 8th December 2014, BBC Radio 2.

___________________________________


These are the Noticeboards of the latest additions to each category of the website.
Click on the green Noticeboard title to take you to the details pages

UMA ll sorts of news snippets from the blues world: upcoming tours, latest CD releases and much more .

2022 UK & European Blues Festivals Guide - initial release of next year's festivals

2021 UK & European Blues Festivals Guide - this year's latest festival updates

2020 UK & European Blues Festivals Guide - who was where last year , and
Blues Festivals Archive - who was where in previous years

The UK/US & European Festivals & Concerts Photo Galleries - photos & reviews of Carlisle Blues Rock Festival , Colne Great British Rhythm & Blues Festival, Scarborough 'Top Secret' Blues Festival , Upton Blues Festival, Linton Festival, P&O Mini Blues Revue Cruises, Skegness Rock & Blues Festival, Bowness Bay Blues Festival, Bangor on Dee Blues & Real Ale Festival, Maryport Blues Festival, plus nostaligic memories of Burnley International Rock & Blues Festival , and many more including anniversary and benefit concerts, blues challenges and blues awards ceremonies.

Various US & European Blues Festivals - photos & reviews of festivals over recent years (including Chicago, King Biscuit, etc.)

T he Blues Festivals Archive - links to all festival photo galleries contained on the website

Photo galleries from various UK blues tours, gigs and the US Section with reviews of various concerts, with more coming soon .

"Keepin' Live Music Alive" - an occasional series of gig reviews .

________________________________

Ah, the memories .


. Mothers Club, Erdington, Birmingham .

Check out over 100 interviews including: Ian Siegal, Alvin Youngblood Hart, Matt Woosey, Jimbo Mathus, Moreland and Arbuckle, Ruby Turner, Swampcandy, Larry McCray, Tommy Allen & Johnny Hewitt, Danny Handley, Chris Powers, Tom Doughty, Sugar Ray Norcia, Matt Schofield, Giles Robson, Gregg Wright, Marcus Malone, Earl Thomas, Mud Morganfield, Marcus Bonfanti, Steve Cropper, Walter Trout, BabaJack, Lisa Mills, Ian Jennings, Norman Beaker, Aynsley Lister, Alan Nimmo, Dave Arcari, Ben Waters, Ed Stephenson, Ben Prestage, Paul Cowley, with more soon including Paul Jones, Larry Miller, Gerry McAvoy, Mick Gallagher, Mike Vernon, Bruce Iglauer (President of Alligator Records), Vaneese Thomas and Bob Malone .

RE-FORMATTED HISTORY SECTION :

The original History Section of Earlyblues.com has been re-created in a more manageable and easier to browse format together with extended content, especially on the history of British Blues .

The new format has been developed on a separate website www.earlyblues.org and will replace the original History Section of www.earlyblues.com , being entirely dedicated to the history and evolution of the Blues in essays and articles, cultural aspects, exhibitions, presentations, courses, talks, research projects, reference lists, recommended blues books, blues resting places, and links to other blues sites. All other content of www.earlyblues.com will remain the same.

So 'Earlyblues.com' now runs as two separate but interlinked websites:
www.earlyblues.com (full content with original History Section) and
www.earlyblues.org (expanded and re-formatted History Section).

Click here to go to the original History Section or click here to see the new History Section, remembering that you can return to the full www.earlyblues.com website any time by clicking the link on the new Home page.

Please remember this original website is over 20 years old and technology has moved on a bit since then - whilst it's quite antiquated in structure it has a wealth of blues in its heart - and it's still beating!

Latest: The Mississippi Delta: Birthplace of the Blues - "This Is Where the Soul of Man Never Dies." - by Terry Messman (Spanish Translation - with thanks to Rafael Res ndiz, professor at the National University of Mexico for the translation)

'Blues Artists & Their Instruments' - updated blues guitar guide by Dai Thomas

Recent essays:
Why Do You Moan, When You Can Shake That Thing? (a survey of Papa Charlie Jackson & Bo Weavil Jackson: 1924-1934) - by Max Haymes
Blues For Martin Luther King, Jr. - by Terry Messman
We'll March on Resurrection Day - by Terry Messman
Gulfport Island Road Blues (Nonsense & Robert Johnson) - by Max Haymes
"I Need-A Plenty Grease In My Frying Pan" (Roots & Influences of Vaudeville & Rural Blues: 1919-1940)
- by Max Haymes
Alabama Blues - by Billy Hutchinson
The Mississippi Delta: Birthplace of the Blues - "This Is Where the Soul of Man Never Dies."
- by Terry Messman
' Blues Poetry ' - an updated collection of articles on Poetry and the Blues

Latest exhibitions:
Downhome Blues Exhibition : A Photographic Exhibition of American Blues Artists and their Home Towns by Alan White. The exhibition comprises some sixteen artists including Chuck Berry, James Cotton, Honeyboy Edwards, Louisiana Red, Coco Montoya and Hubert Sumlin.
Blues Filter Exhibition : A Photographic Exhibition of Blues Artists who have performed at The Great British Rhythm & Blues Festival, Colne, Lancashire by Alan White. The exhibition comprises some twenty five artists including Steve Cropper, Mud Morganfield, Booker T, Billy Boy Arnold, Magic Slim, Chris Farlowe, Jack Bruce, Ruby Turner, Wilko Johnson, Larry Garner and Lucy Zirins.

Coming fairly soon (hopefully):
- Details of an Interactive Robert Johnson Blues Tribute Park in Robert's Birth Town of Hazlehurst Mississippi to be built by The Robert Johnson Blues Foundation working with Robert Johnson's family.

Now if your interest is the history of Gospel Music check out the full list of Gospel Essays on the sister website www.earlygospel.com

Verificação de saída : articles in our long term research project Slave To The Blues:
Slave To The Blues - Coffles and the Auction Block - by Max Haymes

Check out the associated website www.undergroundrailroad.org.uk - developed to give an insight into the Underground Railroad slave escape network during American slavery times.

R ecommended blues related Books/CDs/DVDs/Movies/Radio Stations/On-line Blues Magazines/etc.

. plus a bit of retail therapy with a Shopping Mall

Links to photo galleries, articles and essays on trips to the 'Land Where The Blues Began' .

Coming fairly soon.
1 - 'Deep South Country Blues, Plantations and New Orleans Jazz' :
Mississippi, Arkansas, Louisiana and Tennessee
(including Memphis, Helena, Clarksdale, Vicksburg, Natchez, New Orleans, Jackson and Nashville)
2 - 'Piedmont/East Coast Blues and the Civil Rights Movement' :
Georgia, South Carolina, Tennessee and Alabama
(including Atlanta, Macon, Savannah, Charleston, Chattanooga, Birmingham and Montgomery)
3 - 'Urban Blues, Chicago and Route 66' :
Illinois, Missouri, Kansas, Oklahoma, Texas, New Mexico, Arizona and California
(including
The Chicago Blues Festival a nd Route 66 oddities)
4 - 'Hillbilly Country, The Blues Ridge Mountains, The Underground Railroad & The American Civil War' :
Pennsylvania, Virginia and North Carolina
(including Philadelphia, Gettysburg, Roanoke, Galax, Petersburg, Richmond and Manassas)
5 - 'St Louis Blues, Steamboats and The Underground Railroad' :
Illinois, Iowa, Missouri, Kentucky, Ohio, Indiana and Michigan
(including Chicago, Davenport, Springfield, St Louis, Cairo, Louisville, Cincinnati and Battle Creek)

"Where the Southern Crosses The Yellow Dog"
The junction at Moorhead looking to the west (the Southern Railroad, now the Columbus & Greenville) running west and east and the Yellow Dog (the Yazoo Delta Railroad), running north and south.
Copyright 2008 Alan White. Todos os direitos reservados

Purpose and Acknowledgements

T his is the original 'Earlyblues.com ' Website , first published in October 2000 by Alan White as an on-line information resource specialising in early blues music. It has been regularly developed since then with a vast range of excellent material which I hope you enjoy.

The purpose of the website is to b roaden awareness and understanding of the origins of blues music and to encourage and support live blues music - 'keeping the blues alive'. This is done by:
researching, producing and publishing blues articles and essays
promoting blues books, DVDs, films and Internet based blues radio
promoting and supporting UK and European blues festivals with reviews and photographic portfolios
researching for and interviewing blues artists and bands
encouraging and promoting budding blues artists and bands
supporting associated blues societies and blues magazines
maintaining this website (incorporating all of the above)

Many thanks to all contributors over the years, there are many of them so I've listed their details on a separate page which you can view here . I really do appreciate all their help. If you as the reader would like to contribute or comment in any way I'm always glad to hear from you. Just email me at [email protected]

Now if your interest is the history of Gospel Music check out the sister website www.earlygospel.com

I f you are interested in the long term research project 'Slave To The Blues' then check out the Blues Essays and also my website www.undergroundrailroad.org.uk which gives an insight into the Underground Railroad movement during American slavery times.

Image from advert in the Chicago Defender, 23rd January 1926

For the record: t his is an on-line educational information resource website and no content may be copied for commercial use (see our copyright notice ) .
If in doubt, or if you wish to ask permission to copy an item please email me - [email protected] .

All the work maintaining this and associated websites is completely voluntary (with no financial support or advertising whatsoever) coz' we're passionate about the blues and we want to keep the blues alive!


#EuropeanBluesAwards
Lifetime Contribution Award 2014 Winner
"Very richly deserved in my opinion.
Alan does sterling work for the blues and has done for many many years".
-
Paul Jones, Paul Jones Show, 8th December 2014, BBC Radio 2.

Emeritus Board Member
(Blues Music Historian and Archivist)

T his site was last updated on 21 June 2021

(Website created on 1st October 2000)

Website and 'earlyblues.com' logo Copyright 2000 -20 21 Alan White. Todos os direitos reservados.
All photos and images (unless otherwise stated) Copyright 2000 -20 21 Alan White.
Todos os direitos reservados.

This Website is dedicated to the loving memory of
my Mother (Jean White) and my Father (Richard White)


Dad Battle
Dadbattle is the third and final track of Week 1. It was composed by Kawai Sprite and released on the 1 st of November, 2020.

Pergunta: Why are some of the pages locked?

Answer: Pages are locked mainly due to really bad vandalism. Despite being a T-rated Newgrounds game, it is really popular with 8-year-olds who love to ruin the pages 24/7, and because of this, we have to keep the pages locked. If you would like to help edit a locked page or have valuable information, please message an admin to add it to the page, preferably with a reference! We would love the pages to remain open, but whenever we do, it always ends up being vandalized. Maybe someday in the future, we can open the select few.

Pergunta: Who are the admins/mods?

Answer: The team behind the wiki in order of activity are PicosSchool, Ruffcrane, LilyIUwU, Justanothernormalishweirdo, BlindCartographer‎, ‎Citrus-Shock e C4ndiedGh0st.

Pergunta: Can I have admin/mod rights?

Answer: Don't waste the wiki staff's time by begging for these rights. It's not gonna happen. On the bright side, it's possible to earn them through hard work and dedication. Depending on your behavior and actions on the wiki, you may be approached and offered to earn special privileges to help the wiki even more, plus a custom name color if you choose!

Pergunta: Where is Whitty?

Answer: Whitty is a mod and not an official part of the game. We have a secondary wiki dedicated to fan-made mods of the game to keep unofficial characters, songs and information off of the main wiki. You can find Whitty and many more popular mods there as well.

Pergunta: Can I swear?

Answer: Yes, but it's preferred if you didn't swear every other sentence.

Pergunta: Why did you delete my page?

Answer: Your page was deleted because it was unneeded, about an upcoming week or character we have little information or confirmation for, a duplicate of an already existing article or you're making random pages that have absolutely nothing to do with the game.

Pergunta: I was blocked. Where can I appeal it?

Answer: If you feel like you were wrongfully or unfairly blocked, you may leave a message aqui ou aqui. You must use the same account that you were banned with here and not have someone else do it on your behalf. If you can rationally give a proper explanation for your actions, and the admin agrees, your block may be shortened or even lifted entirely.

Pergunta: Is this wiki official?

Answer: Technically, no. The wiki has been acknowledged, but it has not been officially endorsed by the team behind the game. Regardless, we still try to be the most accurate source of information for the game available.

Pergunta: Someone on Twitter/Reddit/YouTube said this wiki is inaccurate because Boyfriend didn't date Pico! It's just a joke! Stop inserting fan headcanons as fact despite being told several times it's real!


Great Migration: Life for Migrants in the City

By the end of 1919, some scholars estimate that 1 million Black people had left the South, usually traveling by train, boat or bus a smaller number had automobiles or even horse-drawn carts. 

In the decade between 1910 and 1920, the Black population of major Northern cities grew by large percentages, including New York (66 percent), Chicago (148 percent), Philadelphia (500 percent) and Detroit (611 percent).

Many new arrivals found jobs in factories, slaughterhouses and foundries, where working conditions were arduous and sometimes dangerous. Female migrants had a harder time finding work, spurring heated competition for domestic labor positions.

Aside from competition for employment, there was also competition for living space in increasingly crowded cities. While segregation was not legalized in the North (as it was in the South), racism and prejudice were nonetheless widespread.

After the U.S. Supreme Court declared racially based housing ordinances unconstitutional in 1917, some residential neighborhoods enacted covenants requiring white property owners to agree not to sell to Black people these would remain legal until the Court struck them down in 1948.

Rising rents in segregated areas, plus a resurgence of KKK activity after 1915, worsened Black and white relations across the country. The summer of 1919 began the greatest period of interracial strife in U.S. history at that time, including a disturbing wave of race riots.

The most serious was the Chicago Race Riot of 1919 it lasted 13 days and left 38 people dead, 537 injured and 1,000 Black families without homes.


'Where I'm From': A Crowdsourced Poem That Collects Your Memories Of Home

NPR asked for your poems inspired by memories of home. What we received was overwhelming: 1,400 submissions in just two days, with lines that draw on all five senses — in vivid detail and gauzy memories.

In our callout, NPR resident poet Kwame Alexander and Morning Edition host Rachel Martin looked to one poem in particular: "Where I'm From" by Appalachian poet George Ella Lyon. Lyon herself responded to our callout and left something in our submission inbox:

"I was amazed and delighted to hear you read part of 'Where I'm From' on Morning Edition Monday. My poem, written in 1993, was inspired by a poem of Jo Carson's. Her poem took off from something she heard somebody say," she said. "So 'Where I'm From' has been a pass-it-on-phenomenon from the get-go. Here's to the power of poetry and place, and to the voices in all of us that long to be heard."

Hear George Ella Lyon read her poem "From The Page"

As Kentucky's poet laureate in 2015, Lyon collected "Where I'm From" poems from people around the world. Here are some of yours:

Arts & Life

Love Is: A Crowdsourced Valentine's Day Poem

Arts & Life

'Thank You, America': A Crowdsourced Holiday Poem That's A Blessing To Read

Where I'm From: A Morning Edition Crowdsourced Poem of Remembering

I am from travelers and adventure
from "Be seen, not heard!"
from ritual and plainsong
from England and exile
from mint sauce and lamb.

I am from casseroles and canned tuna
Kennedys and Saturday morning cartoons
I am from Tang in a Daffy Duck glass
from wall phones with mangled cords stretched during private calls in a room too far
I come from popcorn ceilings
dining rooms of glossy mahogany

I am from bed sheets
Draped over our dining room chairs.
from the trees Littering the backyard
The sweet taste of mulberries Staining my fingers red
I'm from big hats under rainbow umbrellas
Buckets of wet sand and unstable castles
I'm from orange and vanilla custard
with a pizza slice the size of your chest
From hot July days and cool summer nights
I am from Sunday night pizza and Monday Night Football

I am from marbles
From empanadas cooking in the street
I am from orchids and mango trees
I am from la torta tres leches and ruana
I am from happy and serious
From hard work and sweat

I'm from grit, respect, and discipline.
from big family reunions and endless laughs.
I am from houses never locked
from the projects in Brooklyn
and dominoes in the park
I am from salsa and the car horns blaring

I am from diners and malls and accents that put an "aw" in coffee.
from silky lingerie and sweat socks, bruised knuckles and scars I gave myself
from longing to be someone, somewhere else.
I am from a mother who was still a girl
whose beauty kept her shy
I am from dirt and fences
from strength and toughness

I am from ashes flicked into the tray
the despair of divorce
bonds gone unappreciated
eviction and being thrown away
running and begging to stay
I am from a little girl who just needed a break

I am from a time when my mother went to the hospital and never came back
when my toys were in a box by the curb as we drove away.
I am from singing in the darkness of night
Putting myself to sleep with the sound of my own voice.

I am from playing backyard baseball with tennis balls, Wiffle balls, even roundish gourds.
from weekend sleep-overs
from orange push-ups
from fallen leaves kicked up in swirls on walks to school,
from early morning radio announcements of a snow day — no school!

I am from the South and the North.
from immigrant grandparents and Civil War soldiers.
I am from the red dirt clay of Virginia
From the sounds of the fiddle to the beauty of a choir
From the jig and the reel
to the cloggers and the dancers.
From collard greens and fat back,
chitterlings and white bread
I'm from hymns learned on Sundays,
hypocrisy displayed on Mondays.

I am from Tom Petty
and baby oil in the hot sun
rye bread and salami.
I am from black cows,
tacos, bicycles, and
The gentle lure of crickets.

I am from James Brown and Santana.
from Groovin' on a Sunday Afternoon
and Crystal Blue Persuasion.

I am from endless steps,
from California and Texas, and Durango, Colorado.
From unknown ancestors of the ancient Southwest,
cliff-dwellers and puebloans.
I am from the earth --

from from cityscapes and sleepy suburbs
from cicada clicks and firefly sparks
from the call of books and breathing through struggles.
I am from you


Assista o vídeo: Memória Musical do Cangaço