Althea Gibson se torna a primeira afro-americana a vencer em Wimbledon

Althea Gibson se torna a primeira afro-americana a vencer em Wimbledon


We are searching data for your request:

Forums and discussions:
Manuals and reference books:
Data from registers:
Wait the end of the search in all databases.
Upon completion, a link will appear to access the found materials.

Em 6 de julho de 1957, Althea Gibson reivindica o título feminino de tênis individual em Wimbledon e se torna a primeira afro-americana a ganhar um campeonato no All England Lawn Tennis and Croquet Club de Londres.

Gibson nasceu em 25 de agosto de 1927, em Silver, Carolina do Sul, e foi criado no bairro do Harlem, na cidade de Nova York. Ela começou a jogar tênis na adolescência e ganhou o campeonato nacional de mulheres negras duas vezes. Em uma época em que o tênis era amplamente segregado, a quatro vezes vencedora do Campeonato Americano, Alice Marble, defendeu Gibson e a jogadora de 5'11 ”foi convidada a fazer sua estreia no Campeonato Nacional dos Estados Unidos (agora conhecido como US Open) em 1950. Em Em 1956, a carreira de Gibson no tênis decolou e ela ganhou o título de simples no Campeonato Francês (agora conhecido como Aberto da França) - a primeira afro-americana a fazê-lo - bem como o título de duplas lá. Em julho de 1957, Gibson venceu Wimbledon, derrotando Darlene Hard por 6-3, 6-2. (Em 1975, Arthur Ashe se tornou o primeiro afro-americano a ganhar o título individual masculino em Wimbledon, quando derrotou Jimmy Connors.) Em setembro de 1957, ela ganhou o Aberto dos Estados Unidos e a Associated Press a nomeou Atleta Feminina do Ano em 1957 e 1958. Durante a década de 1950, Gibson ganhou 56 títulos de simples e duplas, incluindo 11 títulos principais.

LEIA MAIS: Mulheres negras pioneiras nos esportes

Depois de vencer Wimbledon e o Aberto dos Estados Unidos novamente em 1958, Gibson se aposentou do tênis amador. Em 1960, ela viajou com o time de basquete Harlem Globetrotters, jogando partidas de tênis antes dos jogos. Em 1964, Gibson juntou-se ao Ladies Professional Golf Association Tour, a primeira mulher negra a fazê-lo. A atleta pioneira jogou golfe profissional até 1971, mesmo ano em que foi eleita para o Hall da Fama da National Lawn Tennis Association.

Depois de servir como comissário de atletismo de New Jersey de 1975 a 1985, Althea Gibson morreu aos 76 anos de insuficiência respiratória em 28 de setembro de 2003, em um hospital em East Orange, New Jersey.


Althea Gibson: a mulher que mudou Wimbledon

“Martina não podia tocá-la. Acho que ela venceria as irmãs Williams. ” Estas palavras, do lendário treinador de tênis dos Estados Unidos Bob Ryland, referem-se à mulher que quebrou a barreira racial no tênis e se tornou a primeira pessoa negra a vencer Wimbledon. Ela foi descrita por Billie Jean King como “uma das minhas ovelhas” e foi uma inspiração direta para Vênus e Serena. O nome dela era Althea Gibson e ela mudou tudo.

Leia mais sobre: ​​Esporte

Quando o futebol feminino era maior que o masculino

Nascida em 1927, ela nasceu na Carolina do Sul e foi criada no Harlem de Nova York, um epicentro da vida e da cultura afro-americana. Sua infância foi uma época difícil para o país, pois a Grande Depressão destruiu vidas de costa a costa. Seu pai também era um disciplinador severo. “Papai me chicoteava”, ela lembrou mais tarde, “e eu não estou falando sobre surras”.

Ela encontrou consolo andando no metrô de Nova York tarde da noite. E também se prendendo aos esportes - particularmente uma variação de tênis de Nova York chamada paddle, que as crianças locais brincavam em um playground criado pela polícia usando barricadas de trânsito em uma rua comum do Harlem. Seu talento chamou a atenção de amigos e vizinhos, que se uniram para comprar suas raquetes e entrar em um clube de tênis. Como ela mesma disse, era “agressiva, dinâmica e mesquinha” - uma potência alta e aterrorizante nas quadras. E quando ela conquistou sua primeira vitória em um campeonato do Estado de Nova York, foi um momento de descoberta. “A garota que venci na final era uma garota branca”, disse Gibson. “Não posso negar que tornou a vitória ainda mais doce para mim.”

Como ela mesma disse, ela era “agressiva, dinâmica e mesquinha”.


Althea Gibson se torna a primeira afro-americana a vencer em Wimbledon - HISTÓRIA

Hoje, consideramos natural ver campeões de tênis afro-americanos como Venus e Serena Williams. Mas foi preciso alguém como Althea Gibson, que foi a primeira afro-americana a vencer o campeonato de tênis da Inglaterra em Wimbledon, em 6 de julho de 1957, para abrir caminho para outros negros no tênis. Gibson, que nasceu em 1927 na Carolina do Sul, cresceu no bairro do Harlem, na cidade de Nova York. Ela começou a ter aulas de tênis aos 14 anos. Ela lutou contra a segregação ao longo de sua carreira, com frequência, era negada a entrada em hotéis e restaurantes durante as turnês. Sua perseverança possibilitou que outros afro-americanos, como o grande tenista Arthur Ashe, o seguissem.

A mesma força de caráter e propósito de Gibson foi compartilhada por outros atletas afro-americanos inovadores, incluindo Jesse Owens, que ganhou quatro medalhas de ouro nas Olimpíadas de Berlim de 1936 durante o auge da propagação da "supremacia" ariana por Hitler e Jackie Robinson, que quebrou a barreira da cor na liga principal de beisebol em 1947. Você pode ler sobre a vida pioneira de Jackie Robinson em "Por demanda popular: Jackie Robinson e outros destaques do beisebol, 1860 - 1960". Dentro da coleção Robinson está a Apresentação Especial "Baseball, the Color Line and Jackie Robinson."

As fotos de Gibson estão em "Creative Americans: Portraits by Carl Van Vechten, 1932-1964." Se você pesquisar em Althea Gibson, encontrará nove retratos.

A. "[Althea Gibson, de Nova York, alcançando alto para arremesso durante a partida da semifinal feminina de simples contra Christine Truman, da Inglaterra, no All England Lawn Tennis Championships em Wimbledon, Inglaterra, 4 de julho de 1957]." New York World-Telegram e a Divisão de Coleção, Impressos e Fotografias da Sun. Nº da reprodução: LC-USZ62-113282 DLC (cópia filme preto e branco): Nº da chamada: NYWTS - BIOG - Gibson, Althea - Tennis [item].

B. Carl Van Vechten, fotógrafo. [Retrato de Althea Gibson vestida com vestido de noite], 1958. Divisão de Impressos e Fotografias. Nº da reprodução: LC-USZ62-105579 DLC (cópia de filme preto e branco): Nº da chamada: LOT 12735, no. 419.


Althea Gibson se torna a primeira afro-americana a vencer em Wimbledon - HISTÓRIA

Jackie Robinson jogou nas ligas principais (1947) antes que um negro fosse autorizado a jogar tênis no Campeonato Nacional dos Estados Unidos. Mas logo surgiram rachaduras no esporte branco-lírio. E, finalmente, em 1950, quando Gibson tinha 23 anos, ela foi autorizada a jogar o Campeonato Americano, tornando-se a primeira negra a competir no torneio.

Além de fazer história como Jackie Robinson, Althea Gibson sentiu a mesma pontada de racismo que a pioneira do beisebol sentiu alguns anos antes dela.
Mais tarde, ela também quebrou a barreira da cor em Wimbledon.

Em 1956, Gibson fez história ao se tornar o primeiro negro a vencer o campeonato francês. No ano seguinte, ela fez mais história ao vencer Wimbledon e o Campeonato Americano, o primeiro negro a vencer. Ela deve ter gostado de ganhar os dois torneios de maior prestígio do mundo também, porque repetiu as conquistas em 1958.

O destro de 1,5 metro de altura tinha um saque forte e preferia jogar de forma ofensiva. Mulher atlética, tinha boa velocidade com os pés, o que lhe permitia cobrir a quadra. Com o passar dos anos, ela se tornou mais consistente desde o início. Incluindo seis títulos de duplas, ela ganhou um total de 11 eventos Grand Slam em seu caminho para o International Tennis Hall of Fame e International Women's Sports Hall of Fame.

Gibson nasceu em 25 de agosto de 1927, na pequena cidade de Silver, S.C. A família mudou-se para o Harlem, na cidade de Nova York, quando ela tinha 3 anos. Crescendo lá, Gibson não gostava tanto de ir à escola que muitas vezes matava aula.

"Papai me chicoteava", disse ela, "e não estou falando de surras." Mas ela não culpou o pai pelas chicotadas, dizendo que as merecia. Além de uma briga ocasional, ela nunca teve problemas reais.

O que Gibson gostava de fazer era praticar esportes. No início, basquete era seu favorito. Em seguida, ela se tornou bastante proficiente no paddle. Então, um músico amigável deu a ela uma raquete de tênis, e ela imediatamente começou a jogar.

Ela largou o ensino médio - não por causa do tênis, mas porque não suportava as aulas - e começou a competir em torneios femininos sob os auspícios da American Tennis Association, que era quase toda negra. Em 1946, ela atraiu a atenção de dois médicos jogadores de tênis, Hubert Eaton da Carolina do Norte e Robert W. Johnson da Virgínia, que eram ativos na comunidade do tênis negro.

O futuro campeão dos meio-médios Sugar Ray Robinson e sua esposa, que tinha feito amizade com Gibson, aconselharam-na a ir para o sul. Ela fez. Cada médico a levou para sua família - Eaton durante o ano letivo, Johnson no verão. Eles não apenas forneceram aulas de tênis, mas também a endireitaram academicamente. Ela voltou para o colégio nos últimos três anos e se formou em 1949 em Wilmington, N.C.

"Se Althea Gibson representa um desafio para a atual safra de jogadores, então é justo que eles enfrentem esse desafio nas quadras", escreveu Marble.

Finalmente, a U.S. Lawn Tennis Association desistiu e a convidou. Em sua estreia histórica no Campeonato Americano de 1950, Gibson derrotou Barbara Knapp em dois sets. Sua partida do segundo turno na grama de Forest Hills foi contra Louise Brough, que havia vencido as três vitórias anteriores em Wimbledons. Depois de ser derrotado por 6-1 no primeiro set, Gibson se recuperou para vencer o segundo set por 6-3 e liderou por 7-6 no terceiro quando uma tempestade caiu, interrompendo a partida. Quando foi retomado no dia seguinte, Gibson perdeu três jogos seguidos para perder a partida.

Gibson demorou um pouco para se ajustar à competição mais forte. Ela também não era bem-vinda em alguns clubes onde eram realizados torneios. Ela foi classificada como a nona posição entre as mulheres americanas em 1952, mas foi somente quatro anos depois que Gibson mostrou o jogo de uma jogadora pronta para subir ao primeiro escalão.

Ela ganhou seu primeiro torneio importante em 1956, o campeonato francês, derrotando a atual campeã Angela Mortimer por 6 a 0, 12 a 10 nas quadras de saibro de Paris. Esta foi sua única aparição na França. Ela se juntou à inglesa Angela Buxton para ganhar o título de duplas feminino na França, assim como em Wimbledon. Naquele ano, ela também venceu torneios de simples na Itália, no Pacífico Sudoeste, Nova Gales do Sul, Pan-Americana, Sul da Austrália e o título asiático no Ceilão.

O segundo colocado no campeonato americano, Gibson chegou à final. Sua oponente foi a cabeça-de-chave Shirley Fry, que jogou uma partida mais estável e ganhou o campeonato com uma decisão de 6-3, 6-4.

Em 1957, Gibson ganhou o controle do futebol feminino. Primeiro, ela venceu Darlene Hard por 6-3, 6-2 para vencer Wimbledon. Então, em 8 de setembro, ela fez história em seu próprio país, derrotando Brough pelo mesmo placar no Campeonato dos Estados Unidos. Ela também fez parte da equipe vencedora de duplas femininas com Hard em Wimbledon e levou o título de duplas mistas com Kurt Nielsen em Forest Hills.

Mesmo enquanto ganhava torneios, ela não tinha quartos em hotéis. Uma se recusou a fazer reservas para um almoço em sua homenagem. Ela disse que não ligava. "Tentei sentir responsabilidades para com os negros, mas isso era um fardo para os meus ombros", disse ela em 1957. "Agora estou jogando tênis para agradar a mim, não a eles."

Ela agradou a si mesma - e aos negros - em 1958 ao derrotar Mortimer por 8-6, 6-2 na final de Wimbledon e lutar para vencer Hard 3-6, 6-1, 6-2 pelo título dos EUA. Seu terceiro título de duplas feminino consecutivo em Wimbledon também foi conquistado, desta vez com Maria Bueno.

Seu recorde de singles nos eventos do Grand Slams foi um impressionante 53-9 - 16-1 em Wimbledon, 27-7 nos EUA, 6-0 na França e 4-1 na Austrália.

Como membro das equipes da Copa Wightman dos Estados Unidos de 1957 e 1958, ela fez 5-1 - 3-1 nas partidas individuais e 2-0 nas duplas - contra a Grã-Bretanha.

Em 1957, ela foi a primeira negra a ser eleita pela Associated Press como a Atleta Feminina do Ano. Ela ganhou a homenagem novamente em 1958.

Depois de vencer seu segundo campeonato dos EUA, ela se tornou profissional. Um ano, ela ganhou estimados $ 100.000 em conjunto com uma série de partidas antes dos jogos de basquete do Harlem Globetrotter.

Não havia turnê profissional de tênis naquela época. Gibson voltou-se para o torneio de golfe profissional por alguns anos, mas ela não se distinguiu. Ela tentou jogar alguns eventos depois que o tênis aberto começou em 1968, mas nessa época ela estava na casa dos 40 anos e era muito velha para vencer seus adversários mais jovens. Ela trabalhou como professora de tênis profissional depois que parou de competir.

Gibson se tornou uma reclusa em seu apartamento bem cuidado com jardim em East Orange, N.J., de acordo com a Time em setembro passado. A revista disse que ela está sofrendo em silêncio de uma série de derrames e doenças causadas por uma doença que ela simplesmente descreveu como "terminal".

O título de sua autobiografia, escrita em 1958, é "Sempre quis ser alguém". Para os fãs de tênis, ela sempre será. Embora ela não tenha procurado o papel de pioneira, ela era uma.

"Se não fosse por ela", diz Billie Jean King, vencedora de 12 títulos individuais do Grand Slam, "não teria sido tão fácil para Arthur (Ashe) ou seus seguidores."


Althea Gibson se torna a primeira afro-americana a vencer em Wimbledon - HISTÓRIA

Neste dia de 1957, Althea Gibson conquistou o título de tênis individual feminino em Wimbledon e se tornou a primeira afro-americana a vencer um campeonato no All England Lawn Tennis and Croquet Club de Londres. Gibson também ganhou o campeonato de duplas feminino no final do dia.

Althea Gibson, nascida em 1927 na Carolina do Sul, cresceu no bairro do Harlem, na cidade de Nova York. A habilidade atlética de Gibson a distinguiu de seus colegas, e ela atraiu ainda mais atenção para si mesma quando ganhou as competições de paddle da Liga Atlética da Polícia e do Departamento de Parques. O diretor de recreação e músico Buddy Walker reconheceu seu talento, comprou raquetes e a levou para as quadras de tênis do rio Harlem. Pouco depois, o famoso Harlem Cosmopolitan Tennis Club fez uma coleta para fornecer a Gibson uma assinatura e aulas de tênis.

A grande chance de Gibson ocorreu quando dois médicos afro-americanos ofereceram a ela uma casa, escola secundária, aulas de tênis e o incentivo e apoio financeiro para realizar seu potencial. Gibson morou com uma das famílias em Wilmington, Carolina do Norte durante o ano letivo e passou o verão aperfeiçoando seu jogo de tênis na outra quadra de tênis do quintal em Lynchburg, Virgínia. Ela venceu o campeonato feminino totalmente negro da American Tennis Association (ATA) & # 8217s por dez anos consecutivos (1947 - 1956), estabelecendo-se como a melhor tenista negra.

Em 1950, durante seu primeiro ano como bolsista de basquete e tênis na Florida Agricultural and Mechanical University, ela chegou à final antes de ser derrotada. Mas ela não foi convidada para nenhum torneio nacional em instalações segregadas até que a campeã de tênis Alice Marble declarou em American Lawn Tennis revista:

& # 8220 [Gibson] não está sendo julgado pelo critério de habilidade, mas pelo fato de que sua pigmentação é um pouco diferente. ”

1950 - Althea Gibson e Alice Marble caminhando para o pátio externo em Forest Hills, onde a primeira partida de Gibson foi agendada.

Em grande parte devido à influência do Marble & # 8217s, os convites começaram a chegar e ela entrou em Wimbledon em 1951, tornando-se a primeira afro-americana a tocar lá. Ela avançou para as quartas de final antes de perder. O jogo de tênis da Gibson e # 8217 continuou a amadurecer. Em 1956, ela ganhou dezesseis dos dezoito torneios internacionais dos quais participou, um dos quais foi um Grand Slam, o Aberto da França. Com essa vitória, Gibson se tornou o primeiro negro a ganhar um grande título de simples no tênis.

Althea Gibson derrotou Darlene Hard em 1957 para ganhar o primeiro de seus dois títulos consecutivos em Wimbledon

Sete anos depois de quebrar a barreira da cor em 1950, ela se estabeleceu como campeã ao vencer Wimbledon e o campeonato dos Estados Unidos em 1957 e 1958. Em 1959, ela se aposentou do tênis amador, jogou tênis de exibição, apareceu em filmes, gravou um álbum e publicou sua biografia, Eu sempre quis ser alguém.

Em 1964, aos 37 anos, tornou-se golfista profissional. Gibson foi a primeira mulher negra a possuir um cartão de jogador da Ladies Professional Golf Association (LPGA) & # 8217s, quebrando assim a barreira da cor em dois dos esportes de elite social. Ela ainda lutou contra o racismo, no entanto. Por exemplo, o Beaumont Country Club, no Texas, concordou em deixá-la jogar o campo, mas não permitiu que ela usasse a sede do clube ou os banheiros.

Althea Gibson poderia dirigir mais de 300 jardas

Gibson se casou em 1965. Nos últimos anos, ela serviu como professora e treinadora profissional de tênis, bem como diretora de programa de um clube de raquetes e comissária de esportes para o estado de Nova Jersey. Em 1994, Gibson sofreu um derrame que a deixou confinada em sua casa. Ela morreu em 2003 em sua cidade natal, East Orange, New Jersey.

Entre Althea Gibson & # 8217s muitas homenagens foram a Atleta Mulher do Ano da Associated Press (1957-1958), National Tennis Hall of Fame (1971), Black Athletes Hall of Fame, International Tennis Hall of Fame (1971) e International Women & # 8217s Sports Hall of Fame (1980). Gibson serviu de inspiração para outras pessoas, como Zina Garrison, Venus Williams e Serena Williams. O caminho também foi pavimentado para homens negros. Arthur Ashe sentiu que Gibson preparou o terreno para seus próprios triunfos posteriores na quadra.


Neste dia de 1957, Althea Gibson conquistou o título feminino de tênis individual em Wimbledon e se tornou a primeira afro-americana a vencer um campeonato no All England Lawn Tennis and Croquet Club de Londres. Gibson também ganhou o campeonato de duplas feminino no final do dia.

Althea Gibson, nascida em 1927 na Carolina do Sul, cresceu no bairro do Harlem, na cidade de Nova York. A habilidade atlética de Gibson a distinguiu de seus colegas, e ela atraiu ainda mais atenção para si mesma quando ganhou as competições de paddle da Liga Atlética da Polícia e do Departamento de Parques. O diretor de recreação e músico Buddy Walker reconheceu seu talento, comprou raquetes e a levou para as quadras de tênis do rio Harlem. Pouco depois, o famoso Harlem Cosmopolitan Tennis Club fez uma coleta para fornecer a Gibson uma assinatura e aulas de tênis.

A grande chance de Gibson ocorreu quando dois médicos afro-americanos ofereceram a ela uma casa, escola secundária, aulas de tênis e o incentivo e apoio financeiro para realizar seu potencial. Gibson morou com uma das famílias em Wilmington, Carolina do Norte durante o ano letivo e passou o verão aperfeiçoando seu jogo de tênis na outra quadra de tênis do quintal em Lynchburg, Virgínia. Ela venceu o campeonato feminino totalmente negro da American Tennis Association (ATA) & # 8217s por dez anos consecutivos (1947 - 1956), estabelecendo-se como a melhor tenista negra.

Em 1950, durante seu primeiro ano como bolsista de basquete e tênis na Florida Agricultural and Mechanical University, ela chegou à final antes de ser derrotada. Mas ela não foi convidada para nenhum torneio nacional em instalações segregadas até que a campeã de tênis Alice Marble declarou em American Lawn Tennis revista:

& # 8220 [Gibson] não está sendo julgado pelo padrão de habilidade, mas pelo fato de que sua pigmentação é um pouco diferente. ”

1950 - Althea Gibson e Alice Marble caminhando para o pátio externo em Forest Hills, onde a primeira partida de Gibson foi agendada.

Em grande parte devido à influência do Marble & # 8217s, os convites começaram a chegar e ela entrou em Wimbledon em 1951, tornando-se a primeira afro-americana a tocar lá. Ela avançou para as quartas de final antes de perder. O jogo de tênis da Gibson e # 8217 continuou a amadurecer. Em 1956, ela ganhou dezesseis dos dezoito torneios internacionais em que participou, um dos quais foi um Grand Slam, o Aberto da França. Com a vitória, Gibson se tornou o primeiro negro a ganhar um importante título de simples no tênis.

Althea Gibson derrotou Darlene Hard em 1957 para ganhar o primeiro de seus dois títulos consecutivos em Wimbledon

Sete anos depois de quebrar a barreira da cor em 1950, ela se estabeleceu como campeã ao vencer Wimbledon e o campeonato dos Estados Unidos em 1957 e 1958. Em 1959, ela se aposentou do tênis amador, jogou tênis de exibição, apareceu em filmes, gravou um álbum e publicou sua biografia, Eu sempre quis ser alguém.

Em 1964, aos 37 anos, tornou-se golfista profissional. Gibson foi a primeira mulher negra a possuir um cartão de jogador da Ladies Professional Golf Association (LPGA) & # 8217s, quebrando assim a barreira da cor em dois dos esportes de elite social. Ela ainda lutou contra o racismo, no entanto. Por exemplo, o Beaumont Country Club, no Texas, concordou em deixá-la jogar o campo, mas não permitiu que ela usasse a sede do clube ou os banheiros.

Althea Gibson poderia dirigir mais de 300 jardas

Gibson se casou em 1965. Nos últimos anos, ela serviu como professora e treinadora profissional de tênis, bem como diretora de programa de um clube de raquetes e comissária de esportes para o estado de Nova Jersey. Em 1994, Gibson sofreu um derrame que a deixou confinada em sua casa. Ela morreu em 2003 em sua cidade natal, East Orange, New Jersey.

Entre Althea Gibson & # 8217s muitas homenagens foram a Atleta Mulher do Ano da Associated Press (1957 - 1958), National Tennis Hall of Fame (1971), Black Athletes Hall of Fame, International Tennis Hall of Fame (1971) e International Women & # 8217s Sports Hall of Fame (1980). Gibson serviu de inspiração para outras pessoas, como Zina Garrison, Venus Williams e Serena Williams. O caminho também foi pavimentado para homens negros. Arthur Ashe sentiu que Gibson preparou o cenário para seus próprios triunfos posteriores na quadra.


O que aconteceu neste dia

Neste dia, 26 de maio de 1956, em Roland Garros, Althea Gibson se tornou a primeira atleta negra a triunfar em um torneio de Grand Slam. Mais do que apenas um marco, a vitória de Gibson & # 8217 representou uma nova possibilidade: instantaneamente ela se tornou um símbolo da capacidade de uma mulher afro-americana de se erguer acima do racismo e do preconceito. Ela se tornou - e ainda é - um farol de esperança por igualdade na sociedade e no esporte. Gibson teve que enfrentar uma discriminação absoluta antes mesmo de ter permissão para competir em grandes eventos de tênis. Seu sucesso marcou um grande passo em favor da dessegregação no tênis. Foi também a primeira de um total de cinco coroas do Grand Slam conquistadas pela primeira estrela do tênis afro-americana em apenas três anos.


Token Feminino

Althea Gibson, a primeira campeã afro-americana de Wimbledon da história. Ela ganhou em 1957 e 1958.

Na última década, houve apenas dois nomes sinônimos de vitórias no tênis americano. E esses dois nomes pertencem a mulheres afro-americanas:

Venus e Serena Williams

Algum dois americanos desde Chris Evert e Billie Jean King fizeram mais para revolucionar o jogo imaculado, muitas vezes enfadonho? Quando eu estava jogando tênis nos anos 70 e 8217, o decoro de um torneio de tênis era quase o mesmo que a missa de domingo. Quieto. Protestos educados se você discordar de uma ligação. Graciosidade.

Minha profissional de tênis local, a falecida e grande Nancy Dillon, uma lenda na comunidade Oak Park-River Forest, ensinou a todos nós no distrito de River Forest Park a atacar a rede, a ser agressivo. Não me lembro da educação como o componente-chave de seu jogo. Ela era a antítese do que vi na televisão. Quando eu assisti & # 8220Breakfast at Wimbledon & # 8221 e os jogos do US Open, eu realmente não me lembro de nenhuma discussão arrasadora e arrasadora com os juízes do lado feminino de Wimbledon. Apenas as palhaçadas engraçadas, infantis e barulhentas de John McEnroe e Jimmy Connors, que na verdade tornavam os jogos de cinco horas um deleite para assistir. Fora isso, eles eram jogos & # 8220Pong & # 8221 em grande escala naquela época.

Lentamente, o torneio feminino # 8217 revolucionou com Martina Navratilova & # 8217s pura fisicalidade e vontade de ferro, Steffi Graf & # 8217s backhand de uma mão, Monica Seles & # 8217 grunhidos. Lentamente, o jogo das mulheres & # 8217s ficou mais barulhento e turbulento. E, em detrimento das mulheres americanas em todos os lugares, dominadas por europeias. Lindsay Davenport, onde está você?

As irmãs Williams adotaram seu estilo de jogo agressivo e ofensivo que fez de Serena campeã de Wimbledon na manhã de sábado na Quadra Central pela quinta vez, após vencer a Polônia e Agieszka (Aggie) Radwanska 6-1, 5-7, 6-2. Venus tem lutado com Sjogren & # 8217s Syndome, uma doença relacionada à fadiga, que limitou sua carreira posterior, mas ainda colocou as irmãs Williams no mapa quando ela ganhou Wimbledon em 2000. Serena seguiu com seu primeiro título em Wimbledon no ano seguinte.

As formidáveis ​​irmãs Williams vão se unir na final de duplas, em busca de seu quinto campeonato. Nas semifinais, as irmãs Williams lutaram com seus saques no primeiro set, mas se recuperaram para vencer a dupla americana Liezel Huber e Lisa Raymond por 2-6, 6-1, 6-2. Venus e Serena interpretarão a dupla tcheca de Andrea Hlavackova e Lucie Hradecka.

Enquanto Serena atravessa um sábado terrivelmente longo, vale a pena lembrar que Venus e Serena Williams não foram as únicas jogadoras afro-americanas em toda a história do tênis. O falecido e grande Arthur Ashe, que morreu muito jovem de AIDS depois de contraí-la em uma transfusão de sangue, foi um herói pessoal meu. Ele fez seu nome como o vencedor no Aberto dos Estados Unidos em 1968 e em Wimbledon em 1975, o primeiro afro-americano a romper a linha da cor.

Mas mesmo Ashe, por melhor que fosse, não foi o primeiro afro-americano campeão de Wimbledon. Não sei quantas pessoas se lembram da falecida Althea Gibson, a & # 8220Jackie Robinson & # 8221 do tênis feminino & # 8217s, como às vezes é chamada. Ela ganhou Wimbledon em 1957 e 1958, no meio da era dos Direitos Civis & # 8230.post-Plessy vs. Ferguson de 1954, mas pré-Civil Rights Act de 1965. Também, pré-Título IX. E um herói esquecido para a comunidade maior.

Senhor, como ela chegou lá?

De acordo com seu site, altheagibson.com, Gibson nasceu em Silver, Carolina do Sul, em 25 de agosto de 1927. Ela cresceu em uma família pobre no Harlem, mas chamou a atenção de um médico de Lynchburg, Virginia, Walter Johnson, que era ativo em a comunidade afro-americana do tênis.

O Dr. Johnson se tornou o patrono da Althea & # 8217s e mais tarde foi conhecido por ser o mentor de Ashe. Por meio de sua conexão com Johnson, Althea teve acesso a melhores instruções e competições. Ele também a conectou à United States Tennis Association (USTA), abrindo-a para o cenário do tênis. Ela começou a jogar tênis no Harlem Tennis Club em 1941, vencendo sua primeira partida em 1942 aos 15 anos de idade. Mais tarde, ela competiu na Florida A & ampM University.

Ela foi a primeira afro-americana a ser nomeada Atleta Feminina do Ano pela Associated Press em 1957. Ela recebeu essa honra novamente no ano seguinte. Quando ela ganhou seu segundo campeonato dos EUA, ela se profissionalizou.

Gibson foi o primeiro afro-americano, homem ou mulher, a vencer campeonatos no Aberto da França, Aberto dos Estados Unidos, Duplas da Austrália e Wimbledon na década de 1950. Mesmo estando sujeita à segregação que atormentava os afro-americanos na época, ela foi uma pioneira no cenário do tênis.

Ao todo, ela ganhou onze títulos importantes, incluindo três duplas consecutivas no Aberto da França em 1956, 1957 e 1958. Venceu o Aberto da França em 1956, Wimbledon em 1957 e 1958 e o Aberto dos Estados Unidos em 1957 e 1958. No final, ela ganhou aclamação internacional por vencer 56 duplas e simples.

O tênis era um jogo muito diferente nos anos & # 821750 & # 8217s. Não houve prêmio em dinheiro (os campeões de Wimbledon agora ganham $ 1.000.000 em torneios masculinos e femininos # 8217s). Não houve acordos de endosso, nem viagens profissionais para mulheres. Eles vieram mais tarde, após a United States Tennis Association (USTA), os tours profissionais Virginia Slims e Lipton, e outros foram estabelecidos na década de 1970 & # 8217. E, ao contrário de Venus e Serena, nenhuma linha de roupas ou negócios pessoais para complementar sua renda.

No entanto, eles podem muito bem olhar para Gibson como um modelo a seguir. Gibson era claramente uma aventureira e não tinha medo de arriscar tudo o que sentia que tinha a oferecer ao mundo. Logo depois de se aposentar do tênis, ela se aventurou no mundo do entretenimento, lançando um álbum, & # 8220Althea Gibson Sings & # 8221 em 1959, e aparecendo em um filme de John Ford & # 8220The Horse Soldiers & # 8221 no mesmo ano. No filme, estrelado por John Wayne, William Holden e a futura estrela de novela Constance Towers, ela interpretou Lukey, a empregada leal à Sra. Towers.

Havia uma associação esportiva profissional disponível para mulheres naquela época - a Ladies Professional Golf Association (LPGA). Depois de se aposentar do tênis em 1958, Gibson decidiu se tornar um profissional de golfe. Ela se tornou o primeiro membro afro-americano do LPGA & # 8217s em 1964. Embora tenha competido até 1970, de acordo com fontes da Wikipedia, ela realmente não se estabeleceu no torneio de golfe profissional e tentou jogar alguns eventos depois de 1968, quando o tênis aberto iniciado. Naquela época, ela estava na casa dos 40 anos e era muito velha para vencer a concorrência mais jovem. Quando ela parou de competir, ela trabalhava como instrutora de tênis. & # 8221

Seus 50 & # 8217s trouxeram novas oportunidades quando ela embarcou em uma carreira no serviço público. Ela se tornou a Comissária Estadual de Atletismo de Nova Jersey em 1975, e serviu em vários outros cargos na legislatura de Nova Jersey, incluindo uma nomeação para o Conselho de Aptidão Física do Governador e # 8217s.

Casada e divorciada duas vezes, ela não tinha filhos.

Seus últimos anos trouxeram problemas de saúde. Gibson sofreu duas hemorragias cerebrais e, em 1992, um derrame. Quebrada, vivendo da previdência social e incapaz de pagar aluguel ou remédios, ela procurou a ex-parceira de duplas Angela Buxton para dizer que estava pensando em suicídio. Buxton, de acordo com fontes da Wikipedia, conseguiu que uma carta fosse publicada em uma revista de tênis. A campanha de arrecadação de fundos arrecadou mais de US $ 1 milhão de dólares.

Gibson morreu de causas naturais em setembro de 2003, depois que seu sistema circulatório entrou em colapso.

Ela é lembrada em todo o mundo. Gibson foi indicado para o International Tennis Hall of Fame e o New Jersey Hall of Fame. Em Wilmington, Carolina do Norte, o novo centro de tênis recebeu o nome de Complexo Esportivo Althea Gibson. E em 2012, uma estátua de Gibson foi inaugurada em um parque em Nova Jersey.

O centro de tênis na Carolina do Norte deve ser visto como uma vingança particularmente doce para Gibson, que uma vez observou ironicamente que apertar a mão da Rainha da Inglaterra estava muito longe de ser forçado a se sentar na seção negra na parte de trás do ônibus em Wilmington, Carolina do Norte e # 8221


História do tênis negro

A rica história dos negros e do tênis nos Estados Unidos remonta a quase 110 anos. Inclui nomes como Althea Gibson, Arthur Ashe, Zina Garrison e Venus e Serena Williams. Também inclui alguns petiscos pouco conhecidos.

Para a Tennis Week, The Undefeated vasculhou a história do tênis negro para fornecer uma linha do tempo que prova quando os negros pisam na quadra, devemos saber mais sobre essa ação.

The first interstate tournament for blacks is created by Rev. W.W. Andador. The Philadelphia event was won by Thomas Jefferson of Lincoln University.

Rev. W.W. Walker goes on to win the following year&rsquos tournament by defeating Henry Freeman of Washington, D.C.

Even with a change of scenery and playing on his opponent&rsquos home court, Rev. W.W. Walker manages to beat Howard University&rsquos Charles Cook.

Booker T. Washington&rsquos son, E. Davidson, and C.G. Kelly help create the first faculty tennis club at Tuskegee Institute.

The Chicago Prairie Tennis Club is formed by Mrs. Maude Lawrence, Madelyn Baptist McCall, Ruth Shockey and Mrs. C.O. &ldquoMother&rdquo Seames.

The seven women preparing to play in the New York State Negro Tennis Championships that took place at the Cosmopolitan Tennis Club in Harlem.

Harlem&rsquos Colonial Tennis Club, later known as the Cosmopolitan Club in Harlem, is founded.

Plans for national tennis organization for African-Americans are discussed by members of the Association Tennis Club in Washington, D.C., and the Monumental Tennis Club of Baltimore. The American Tennis Association (ATA) was founded on Thanksgiving Day in Washington, D.C., at a YMCA and H. Stanton McCard is elected as the organization&rsquos first leader.

By winning the ATA women&rsquos singles tournament, Lucy Diggs Slowe becomes the first African-American female national champion in any sport.

New York Tennis Association is founded.

The first private grounds for a black tennis club in the United States are built by &ldquoMother&rdquo Mary Ann Seames and her husband, who purchased property on the South Side of Chicago to build the four tennis courts.

Dwight Davis, the donor of the Davis Cup, serves as an umpire at ATA national semifinals.

The first black-owned-and-operated country club in the United States is founded by the Progressive Realty Group, a group of African-American businessmen who purchased and opened the Shady Rest Golf and Tennis Club in Scotch Plains, New Jersey.

The Springfield (Massachusetts) Tennis Club and New Jersey Tennis Association are created.

New England Tennis Association and St. Louis Tennis Association are formed.

Reginald Weir and Gerald Norman Jr. are denied entry into the U.S. Lawn Tennis Association (USLTA) Junior Indoor Championship because of their race, even after paying the entry fee. Support from the NAACP resulted in a formal grievance after Norman&rsquos father filed a complaint.

University of Illinois tennis player Douglas Turner is the runner-up in the Big Ten championships.

The Colored Intercollegiate Athletic Association (CIAA) and the Southern Intercollegiate Athletic Association (SIAA) receive the Williams Trophy after it was donated by members of the Grand Central Station staff.

Jimmie McDaniels returns a shot during the New York State Negro Tennis Championships in 1940

On the anniversary of the ATA&rsquos Silver Jubilee, USLTA president Holcombe Ward extends his warmest regards to the organization &hellip without allowing a single person of color to participate in his league. In the letter, he states, &ldquoI extend most cordial greetings and sincere wishes for the success of the American Tennis Association in its further development, work and efforts to maintain the high standards of the game of tennis wherever played.&rdquo

Althea Gibson becomes the first African-American to participate in the U.S. Nationals. In the first round, she defeats Barbara Knapp, but would then fall to Louise Brough in the second round, 1-6, 6-3, 7-9. Before a thunderstorm descended on the court, Gibson was actually beating Brough. When the players came back the next day, Gibson lost three straight games and the match.

Victor Miller and Roosevelt Megginson become the first African-Americans to play in the USLTA Interscholastic Championships.

Two years after Miller and Megginson, Lorraine Williams wins the USLTA National Girls&rsquo 15 Singles, becoming the first African-American to win a USLTA national championship.

Althea Gibson walks through a cheering crowd while preparing to play in the 1957 Wimbledon Tournament.

Althea Gibson wins the French Championships women&rsquos singles tournament, becoming the first African-American to win a Grand Slam title. She also left the French Championships with the women&rsquos doubles title. Gibson&rsquos success continued into the women&rsquos doubles final at Wimbledon, as well, where she left London victorious.

Althea Gibson becomes the first black to win a major U.S. tennis championship when she defeats Darlene Hard in straight sets, 6-2, 6-3, to capture the U.S. Clay Court singles title in River Forest, Illinois. The match lasted only 47 minutes.

Later that year, Gibson wins the U.S. National Championships (now known as the US Open), becoming the first African-American to do so. Gibson was also the first African-American to play in the Australian Open championship, although she lost to Shirley Fry in straight sets, 6-3, 6-4. This would be the only Grand Slam championship she would not win in singles. However, Gibson would win the Australian Open women&rsquos doubles championship in 1957.

Gibson lost the U.S. National Championships women&rsquos doubles championship. That was the only doubles Grand Slam title she didn&rsquot win. She won the mixed doubles championship.

For her wins in the French Open, Wimbledon and the U.S. National Championships, Althea Gibson was named the Associated Press Woman Athlete of the Year.

Althea Gibson repeats as both U.S. National and Wimbledon champion. For a third consecutive year, Gibson wins the women&rsquos doubles title match at Wimbledon. She also repeats as the AP Woman Athlete of the Year. It&rsquos during this year that she also announces her retirement from amateur tennis.

Bob Ryland breaks the color barrier for black men, participating in Jack Marsh&rsquos World Pro Championships in Cleveland and thus becoming the first African-American male tennis professional.

Arthur Ashe Jr. wins the National Indoor Junior Tennis Championship.

Arthur Ashe Jr. continues that momentum by repeating as the National Indoor Junior Tennis champion and also winning the USTA Interscholastic Singles Championship.

The Davis Cup team welcomes Arthur Ashe Jr., and he becomes the first African-American to make the unit. He wins the U.S. Hard Court Championships.

Playing in the U.S. Nationals at Forest Hills, New York, at age 15, Lenward Simpson becomes the youngest male to do so.

Arthur Ashe eyes up a shot while playing in the semifinals of the U.S. National Tennis Championships in 1965.

While attending UCLA, Arthur Ashe Jr. wins the NCAA singles championship and doubles championship with Ian Crookenden.

Arthur Ashe Jr. takes home the U.S. Clay Court Championship and the U.S. Indoor Doubles with teammate Charlie Pasarell.

Arthur Ashe Jr. becomes the first (and remains the only) black man to win the US Open. It was the first US Open in the Open era. That same year, Ashe defeated Davis Cup teammate Bob Lutz to win the U.S. Amateur Championships. To this day, he remains the only player to win the amateur and national championships in the same year.

Arthur Ashe Jr. becomes the first (and is still the only) black man to win the Australian Open.

Juan Farrow wins the U.S. Boys&rsquo 12 Singles Championship and also wins the doubles title with teammate Lawrence &ldquoChip&rdquo Hooper.

Arthur Ashe Jr. teams up with Marty Riessen to win the French Open men&rsquos doubles title.

That same year, Althea Gibson is elected to the International Tennis Hall of Fame.

Two years after winning his first U.S. Boys&rsquo 12 Singles title, Juan Farrow takes home his second championship in the U.S. Boys&rsquo 14 Singles.

In the National Public Parks Girls 16U Singles Championship, Diane Morrison comes out victorious.

Juan Farrow wins the National Boys Indoor 16 Singles Championship.

Lenward Simpson signs with the Detroit Loves and in the process becomes the first black player in World Team Tennis.

Arthur Ashe Jr. wins the Wimbledon men&rsquos singles title by defeating Jimmy Connors. In doing so, he becomes the first (and still the only) black man to win the event.

The NCAA Division II doubles are won by Hampton University&rsquos Bruce Foxworth and Roger Guedes. Hampton becomes the first historically black college or university to win the Division II title.

Andrea Whitmore wins the National Public Parks singles, doubles and mixed doubles titles. She is the first African-American to win a championship and only the second woman to win three major events in the tournament&rsquos 52-year history.

The U.S. Girls 14 Indoor Doubles is won by Kathy Foxworth and Lori Kosten.

Leslie Allen plays during the final match at the Avon Tennis Championship in 1980.

AP Photo/Richard Sheinwald

The U.S. Girls 16 Hard Court Doubles, U.S. Girls 18 Indoor Doubles, and the U.S. Girls 18 Clay Court Doubles are won by Houston duo Zina Garrison and Lori McNeil.

Leslie Allen is the first African-American woman to play in the main draw of a professional tournament in Open era history.

When Leslie Allen wins the Avon Championships of Detroit, she becomes the first black woman since Althea Gibson to win a major title.

Yannick Noah becomes the first black man to win the French Open when he defeats defending champion Mats Wilander, 6-2, 7-5, 7-6. The 23-year-old dropped only a single set during the tournament and became the first Frenchman to win the French Open singles championship since 1946. He is also the last Frenchman to win that event. The victory was his first and last Grand Slam singles title.

Camille Benjamin makes it to the French Open semifinals.

Lloyd Bourne, a two-time All-American at Stanford, reaches the round of 16 at the Australian Open.

Todd Nelson makes it to the round of 32 of the US Open.

Pepperdine University&rsquos Jerome Jones and Kelly Jones (no relation) win the NCAA doubles championship.

Lori McNeil and Zina Garrison face off in the Eckerd Tennis Open, which is the first time two black players meet in a major professional tennis championship. McNeil defeats Garrison, 2-6, 7-5, 6-2.

Northwestern University&rsquos Katrina Adams becomes the first African-American woman to win an NCAA doubles title, teaming with Diane Donnelly to beat Stanford&rsquos Patty Fendick and Stephanie Savides, 6-2, 6-4.

Zina Garrison and Pam Shriver win the Olympic gold medal for women&rsquos doubles in Seoul, South Korea. Garrison also takes home bronze in the women&rsquos singles tournament.

U.S. national team names MaliVai Washington to its squad.

Zina Garrison defeats Monica Seles, ending her 36-match winning streak, and then stuns Steffi Graf in the Wimbledon semifinals to advance to her first Grand Slam championship. Garrison would go on to lose to Martina Navratilova in the title bout, but by playing in the championship, Garrison becomes the first black woman to reach a Grand Slam final since Althea Gibson in 1958.

The USTA National Indoor 18 Singles is won by Mashona Washington.

MaliVai Washington serves during a first round match of the U.S. Open.

Photo by Simon Bruty/Getty Images

MaliVai Washington reaches the Wimbledon singles final, where he falls to Dutchman Richard Krajicek in straight sets. Washington becomes the first black man to reach the title game since Arthur Ashe Jr. During this year, Washington is named to the U.S. Olympic tennis team, becoming the first African-American to receive the honor.

Chanda Rubin and partner Arantxa Sanchez-Vicario win the Australian Open doubles title, and Rubin fights her way to the semifinals of the Australian Open, where she loses to eventual champion Monica Seles in three sets.

Venus Williams hits a 125 mph serve at Wimbledon, becoming the first woman to do so.

The Wimbledon and US Open mixed doubles championships are won by Serena Williams and Max Mirnyi.

The Australian Open and French Open mixed doubles finals are won by Venus Williams and Justin Gimelstob.

Steve Campbell reaches the Australian Open&rsquos round of 32.

Serena Williams becomes the first black woman to reach a Grand Slam singles championship since her sister Venus made the US Open final two years before and, in winning the US Open, becomes the first black woman since Althea Gibson to win a Grand Slam singles title.

Venus Williams (R) returns a ball during the Women&rsquos Doubles final match alongside her sister, Serena, at Wimbledon in 2000.

GERRY PENNY/AFP/Getty Images

Both the Wimbledon and US Open women&rsquos singles championships are won by Venus Williams.

Serena and Venus Williams win the Wimbledon women&rsquos doubles title and take home the gold in the Olympic women&rsquos doubles. Venus Williams captures gold in the women&rsquos singles championship too.

Sports Illustrated for Women honors Venus Williams with its Sportswoman of the Year accolade.

Serena Williams wins three of the four Grand Slam women&rsquos singles championships: French Open, Wimbledon and the US Open.

She and Venus Williams team up to win the Wimbledon women&rsquos doubles title too. Serena and Venus Williams flip-flopped between No. 1 and No. 2 in the world. This is the first and only time in history that siblings have accomplished that feat.

Serena Williams accomplishes two major feats: The Serena Slam, by winning every Grand Slam singles title consecutively (though not in the same calendar year), and she also becomes the first black woman to win the Australian Open.

Scoville Jenkins, 18, wins the USTA National Open Hard Court title, becoming the first African-American to do so.

James Blake achieves the highest world ranking for a black man since Arthur Ashe Jr. in 1979. Blake&rsquos five ATP titles propel him to No. 4 in the world.

Venus and Serena Williams win their second women&rsquos doubles Olympic gold medal at the Beijing Summer Games.

Frenchman Jo-Wilfried Tsonga reaches the Australian Open final as an unseeded player, having defeated four seeded players to reach the championship. His ascent to the title match includes a straight-sets win over Rafael Nadal, the No. 2 player in the world, in the semifinals. Ultimately, Tsonga loses in four sets to world No. 3 Novak Djokovic. Tsonga&rsquos first-set victory was the only set Djokovic dropped the entire tournament. Tsonga became the second black man to reach the final and would&rsquove become the second to win the event (Arthur Ashe Jr.).

Tsonga was actually the first and one of only three players (Tomas Berdych and Stan Wawrinka) to garner Grand Slam victories against the Big Four: Novak Djokovic, Roger Federer, Andy Murray and Rafael Nadal.

The Australian Open Girls Junior Singles title is won by Taylor Townsend.

At the London Olympics, Serena Williams captures her first gold medal in the women&rsquos singles event.

Madison Keys takes home her first WTA title.

Donald Young and Taylor Townsend reach the semifinals of the US Open mixed doubles.

Sloane Stephens wins her first Women&rsquos Tennis Association tour-level tournament in 84 tries, defeating Anastasia Pavlyuchenkova in straight sets, 6-1, 6-2. The 22-year-old becomes the first African-American woman to win the Citi Open since the tournament started featuring women&rsquos events in 2011.

Katrina Adams becomes the first African-American, first former professional player and youngest person elected president of the United States Tennis Association.

Serena Williams waves to the crowd as she leaves the court with the Daphne Akhurst Trophy after defeating her sister Venus during the Austrialian Open.

Scott Barbour/Getty Images

With her win at the Australian Open this January, Serena Williams sets the record for most Grand Slam wins (23) by a tennis player in the Open era. She is now only one behind Margaret Court, who holds the all-time record (24).

Michigan&rsquos Brienne Minor becomes the first black woman to win the NCAA&rsquos Division I singles championship, defeating Florida&rsquos Belinda Woolcock, 3-6. 6-3, 6-3, to become the first African-American to win an NCAA tennis singles championship since Arthur Ashe Jr. in 1965.


Making history

Gibson's success at those ATA tournaments paved the way for her to attend Florida A&M University on a sports scholarship. Ela se formou na escola em 1953, mas foi uma luta para sobreviver.

At one point, she even thought of leaving sports altogether to join the U.S. Army. A good deal of her frustration had to do with the fact that so much of the tennis world was closed off to her. The white-dominated, white-managed sport was segregated in the United States, as was the world around it.

The breaking point came in 1950, when Alice Marble, a former tennis No. 1 herself, wrote a piece in American Lawn Tennis magazine lambasting her sport for denying a player of Gibson's caliber to compete in the world's best tournaments.

Marble's article caught notice, and by 1952 &mdash just one year after becoming the first Black player to compete at Wimbledon &mdash Gibson was a Top 10 player in the United States. She went on to climb even higher, to No. 7 by 1953.

Em 1955, Gibson e seu jogo foram patrocinados pela United States Lawn Tennis Association, que a enviou ao redor do mundo em uma excursão pelo Departamento de Estado que a viu competir em lugares como Índia, Paquistão e Birmânia.

Measuring 5 feet, 11 inches, and possessing superb power and athletic skill, Gibson seemed destined for bigger victories. In 1956, it all came together when she won the French Open.

Wimbledon and U.S. Open titles followed in both 1957 and 1958. (She won both the women's singles and doubles at Wimbledon in 1957, which was celebrated by a ticker-tape parade when she returned home to New York City.) In all, Gibson powered her way to 56 singles and doubles championships before turning pro in 1959.

De sua parte, no entanto, Gibson minimizou seu papel de pioneira.

"I have never regarded myself as a crusader," she states in her 1958 autobiography, "I Always Wanted to Be Somebody."

"I don't consciously beat the drums for any cause, not even the negro in the United States."


July 6, 1957: 10 Black Athletic “Firsts” (Althea Gibson Wins Wimbledon)

On July 6, 1957, women’s tennis star Althea Gibson of Harlem, New York (born in South Carolina) became the first ever person of African ancestry to win the prestigious Wimbledon tennis tournament in England. Today we list 10 such achievements by Black (African heritage) athletes of a notable nature. (There is no importance to the order listed.)

Cavando Mais Profundamente

1. 1 st Wimbledon Champion, Althea Gibson, 1957.

Not only did Althea achieve this notable “first,” but she also had become the first Black tennis player to win a “Grand Slam” event by winning the 1956 French Open as well. Top that with being the first person “of color” to have won the US Nationals (that would become the US Open) in 1957, and winning Wimbledon and the US Nationals again in 1958! Gibson compiled 11 Grand Slam wins (6 doubles), was the AP Female Athlete of the Year in 1957 and 1958, and of course, is in the International Tennis Hall of Fame and the International Women’s Sports Hall of Fame. Achieving these firsts is all the more impressive when you consider the 1950’s was still the era of segregation and rampant racism. Plus, it would not be until Evonne Goolagong (Australian Aborigine) would become the next woman of color to win a Grand Slam event in 1971! It would be another 42 years from Gibson’s victory at Wimbledon for another African American woman to win at Wimbledon, when Serena Williams won the event in 1999 (and would go on to win 5 more at Wimbledon as of 2017).

2. 1 st Sisters to Dominate Tennis, Williams Sisters, 2002.

Venus and Serena Williams are two of the greatest tennis players of all time, not just women and not just African American! Both have been ranked #1 in the World (a first for sisters), and Serena has won an incredible 72 singles tournaments, while Venus has triumphed in 49. Between the girls they have 18 Grand Slam wins, and have been an incredible doubles team, winning 3 Olympic Gold Medals and 14 Grand Slam doubles titles to go with 22 other doubles wins. Venus was #1 for 11 weeks, while Serena had a run of 319 weeks at the top! In 2002-2003 they became the only women to play each other in the final of 4 Grand Slam events in a row. (We used 2002 as the year because that was the first year both were ranked #1.)

3. 1 st to Win Men’s Grand Slam Tennis Event, Arthur Ashe, 1968.

This Virginian born in 1943 was raised by his father when his mom died at the age of 27. Young Arthur was discovered and mentored by the same coach that coached Althea Gibson. Barred from playing against White kids while growing up, Ashe developed into a player that would win 3 Grand Slam titles and become #1 in the world in 1968, the first African American man to do so. Ashe was the first African American man placed on the US Davis Cup team, and remains the only Black man to have won the French Open, Australian Open, and Wimbledon championships. Of course, he is in the International Tennis Hall of Fame. Unfortunately, he died of AIDS at the age of 49, contracted from a blood transfusion during surgery. Ashe was active in the Civil Rights Movement and was an advocate for young African Americans to seek higher education.

4. 1 st Major League Baseball Manager, Frank Robinson, 1975.

A superb player, Robinson had won the batting Triple Crown in 1966 playing for the Orioles, leading the league in homers, RBI’s and batting average. The Cleveland Indians made history when they made Robinson the first African American to lead a major sports franchise as manager or head coach. Frank also has a “first” of any race, that of winning the MVP award in both the National and American Leagues as a baseball player. When he retired he ranked #4 all time on the home run list and obviously is in the Hall of Fame. He went on to manage 3 other major league teams. In his rookie season (1956) he set the major league record for home runs by a rookie (38), later broken by Mark McGwire. He was the 1966 Hickock Belt winner as the best professional athlete in the world that year.

5. 1 st Black Player in the American League, Larry Doby, 1947.

Just 3 months after Jackie Robinson broke the “color barrier” in major league baseball, Doby joined the Cleveland Indians. In 1948, Doby along with Satchel Paige became the first African American players to win a World Series title, and Doby became the first Black player to hit a World Series home run. Doby led the league in homers in 1952 and 1954, and led the league in RBI’s in 1954. He was a 7 time All-Star and in 1998 was elected to the Baseball Hall of Fame. Doby served as manager of the Chicago White Sox in 1978.

6. 1 st Hickock Belt winner, Willie Mays, 1954.

The ‘Say hey’ kid as he was called, is considered by many to be the best all-around baseball player of all time. Mays won a record (tied) 12 Gold Glove Awards (they were created in 1957, or he may have won more) and was a 2 time MVP, as well as playing in 24 All-Star Games, a record he shares with Hank Aaron and Stan Musial. Mays was elected to the Baseball Hall of Fame in 1978, his first year of eligibility, and was selected as the greatest athlete in the world for the year of 1954 by being presented the Hickock Belt, the first man of African ancestry to earn the award.

7. 1 st Major Leaguer to Steal 100 Bases in a Season, Maury Wills, 1962.

Maury Wills broke the coveted major league season stolen base record of 96, set by Ty Cobb back in 1915, when Maury stole 104 bases during the 1962 season for the Los Angeles Dodgers. Wills had an excellent major league career, with leading the league in stolen bases 6 consecutive years, earning an MVP award, earning an All-Star Game MVP award, playing in 7 All-Star Games (in 5 seasons), winning 2 Gold Gloves, leading the league in triples (once) and leading the league in singles 4 times. He remains the Dodgers all-time leader in stolen bases and single season at bats (695 in 1962). Wills also was awarded the Hickock Belt in 1962, but curiously is not in the Hall of Fame. Wills’ son, Bump Wills, was a major league baseball manager.

8. 1 st Quarterback to Win Super Bowl, Doug Williams, 1988.

Williams played college football at Grambling State and earned a degree in education before becoming a pro football player in the NFL in 1978. Doug switched to the USFL for the 1984 season and led that league in passing, and then did considerably better during the 1985 season. In 1986, it was back to the NFL, and in the 1987 season Williams was the #2 quarterback for the Washington Redskins. At the end of the 1987 season Williams was chosen to start in Super Bowl XXII on January 31, 1988 against the Denver Broncos. Williams led the ‘Skins to a 42-10 victory and earned the game’s MVP award, becoming the first African American quarterback to lead his team to a Super Bowl victory. Williams is in the College Football Hall of Fame.

9. 1 st African American Individual Champion in Any Sport, Marshall Taylor, 1899.

Nicknamed “Major,” Taylor won the World Championship in the Sprint event at the Track Cycling Championships held in Montreal in 1899. Taylor held many world records and was only the second Black male athlete to win a World Championship in any sport, second to Canadian George Dixon who won the Bantam Weight Boxing Championship in 1888. (Dixon also won the Feather Weight title in 1890.)

10. 1 st Black Woman to Win Olympic Gold Medal, Alice Coachman, 1948.

Born into poverty in 1923 in Albany, Georgia, Alice faced discrimination in her efforts to become an athlete both for being female and for being African American. She went to the Tuskegee Preparatory School and then the Tuskegee Institute (graduating with a degree in dressmaking in 1946), but made her mark on history when she became the Women’s Running High Jump Olympic Gold Medalist at the 1948 Olympic Games in London. Not a one trick pony so to speak, Alice won the US AAU National Championship in the High Jump 10 years in a row (!) from 1939 to 1948, but also won National Championships in the 50 meter and 100 meter dashes, as well as the 400 meter relay. She also played on the 3 time conference winning basketball team at Tuskegee. Her winning Olympic high jump was 5’6 ½”. On retiring from Track, Alice worked as an educator and for the Job Corps. She died in 2014 at the age of 90.

Pergunta para alunos (e assinantes): What other achievements would you add to the list? There are so many to pick from! Informe-nos na seção de comentários abaixo deste artigo.

Se você gostou deste artigo e gostaria de receber notificações sobre novos artigos, sinta-se à vontade para se inscrever em História e manchetes gostando de nós em Facebook e se tornar um de nossos patronos!


Assista o vídeo: Althea Gibson. Trailblazers - Episode 8. Eurosport