Não ataque o Bonnacon, uma fera medieval com uma defesa tóxica

Não ataque o Bonnacon, uma fera medieval com uma defesa tóxica


We are searching data for your request:

Forums and discussions:
Manuals and reference books:
Data from registers:
Wait the end of the search in all databases.
Upon completion, a link will appear to access the found materials.

O bonnacon é uma besta estranha que se acredita ter existido no mundo antigo. O primeiro atestado da existência da criatura bizarra remonta ao historiador natural romano Plínio, o Velho. A crença em sua existência continuou até a Idade Média e foi uma figura proeminente em muitos bestiários medievais - talvez devido à forma rude e incomum como se defendeu.

A proteção da besta

A referência mais antiga conhecida ao bonnacon (variações incluem 'bonachus', 'bonacon', 'bonaconn' e 'bonasus') é dito ser encontrado em Plínio, o Velho História Natural . De acordo com Plínio, ele pode ser encontrado na região de Paeonia, que corresponde aproximadamente ao que é hoje a parte norte da Grécia, a ARJM e o oeste da Bulgária. Plínio afirma que a criatura "tem a crina de cavalo, mas é, em outros aspectos, como o touro, com chifres, no entanto, tão dobrados para dentro uns dos outros, que não são úteis para fins de combate".

A besta mítica não pode usar seus chifres para o combate. ( CC BY SA )

Como os chifres da criatura são praticamente inúteis em combate, o bonnacon, em face do perigo, fugiria, em vez de permanecer firme para lutar. O aspecto mais bizarro do bonnacon é o mecanismo que ele usou para escapar de seus perseguidores. De acordo com Plínio, “enquanto no ato de voar, ele (o bonnacon) envia seus excrementos, às vezes a uma distância de até três jugera (104 pés romanos, que são aproximadamente 31 metros); cujo contato queima quem o persegue, como uma espécie de fogo. ”

  • Bonito, decorativo e às vezes rude: Manuscritos Iluminados e Marginália
  • Histórias de arrepiar os cabelos de animais paranormais que possuem humanos, vêem a morte e agem como mensageiros dos deuses
  • A Besta de Exmoor: Este Gato Fantasma é Mais do que Mero Folclore?

Outra referência ao bonnacon pode ser encontrada em um texto conhecido como Sobre coisas maravilhosas ouvidas , que às vezes foi atribuído ao filósofo Aristóteles, embora geralmente considerado pelos estudiosos como um produto da Escola Peripatética. A descrição do animal mítico nesta obra concorda com a de Plínio, embora mais detalhes sejam apresentados.

De acordo com este trabalho, o habitat do bonnacon é colocado especificamente na "montanha chamada Hesaenus, que divide Paeonia de Maedice," Outros detalhes fornecidos por Sobre coisas maravilhosas ouvidas sobre esta criatura incluem "cada um desses (ou seja, os chifres) tem mais de três litros e é escuro como breu, mas eles brilham como se tivessem sido descascados", "quando a pele é esfolada, cobre o espaço de oito sofás", e " sua carne é doce ”. Este trabalho também afirma que o excremento do bonnacon só queima quando a criatura é perturbada.

Fólio 16r de um Bestiário do século 13, O Bestiário de Rochester (Biblioteca Britânica, Royal MS 12 F XIII), mostrando o Bonnacon.

A popularidade da criatura Bonnacon

Por uma razão ou outra, o bonnacon se tornou uma criatura um tanto popular e encontrou seu lugar em muitos bestiários medievais. Um deles, por exemplo, é o Bestiário de Aberdeen, que afirma que a besta é uma fauna nativa da Ásia (e não Paeonia como indicado em História Natural e Sobre coisas maravilhosas ouvidas ).

Além disso, este bestiário observa que o calor dos excrementos da criatura é tão forte que incendeia qualquer coisa que encontrar. Nessas obras ilustradas, o bonnacon é frequentemente visto sendo caçado por seres humanos e, portanto, essas ilustrações mostram a criatura atirando por trás. Os perseguidores nessas cenas são freqüentemente mostrados com uma expressão de nojo em seus rostos.

A criatura se defende. ( cludbdesmonstres)

O bonnacon também é mencionado brevemente no Lenda dourada , uma coleção medieval de biografias de santos. Na hagiografia de Santa Marta (uma figura mencionada nos Evangelhos, e irmã de Maria e Lázaro), a santa teria deixado a Judéia com seus irmãos após a ressurreição de Cristo e finalmente chegado à França. Em um bosque entre Arles e Avignon, consta que o santo encontrou um monstro parecido com um dragão chamado pelos nativos de Tarasconus - que se acredita ser filho do Leviatã e de um bonnacon.

  • Bestiário, O Livro das Feras: Compêndios de Monstros Medievais e Lições Morais
  • Criaturas da terra, do mar e dos céus: antigas crenças em contrapartes animais
  • Aspidochelone: ​​um monstro marinho gigante do mundo antigo e uma besta alegórica

Modelo Tarasconus em procissão de Corpus Christi em Valência. (Chosovi / CC BY 3.0 )

Não há evidências concretas para apoiar a existência desse ser estranho, mas a criatura pode de fato ser baseada em um animal real. Foi sugerido que a base do bonnacon pode ter sido uma espécie de bisão que viveu na Ásia Central, ou o bisão europeu, que ainda existe hoje.

Um bisão europeu no parque de caça Wisentgehege Springe perto de Springe, Hanover, Alemanha. (Michael Gäbler / CC BY 3.0 )


Não ataque o Bonnacon, uma fera medieval com uma defesa tóxica - História

O Ormesby Psalter (Bodleian Library MS. Douce 366), não é um bestiário. É um saltério, uma coleção de Salmos destinados à leitura contemplativa. Os ricos encomendariam tais manuscritos, e muitos deles são ricamente ilustrados. Alguns deles usaram temas de bestiário em suas ilustrações marginais (o Queen Mary Saltério tem quase um bestiário em suas margens) ou em iniciais historiadas. O Ormesby Psalter tem algumas belas ilustrações de animais, como esta.

Enquanto um cavaleiro metodicamente corta as cabeças de um dragão de várias cabeças (talvez a hidra ou a Besta do Apocalipse), dois coelhos simulam uma batalha com espada e maça, e um cachorro dorme pacificamente em meio à carnificina.

Outro cachorro espera pacientemente que seu dono pare de ter uma conversa simbólica com um homem estranho que ela conheceu enquanto passeava com seu cão e esquilo. O que está acontecendo aqui está além de minha compreensão, mas talvez o homem, com uma espada sugestiva saindo de seu lado e um anel muito grande, esteja propondo à mulher que eles fundam seu zoológico no sagrado matrimônio.

O cachorro parece divertido com tudo isso, mas provavelmente só quer continuar com a caminhada.

A ilustração que mais gosto é do unicórnio.

Aqui temos um unicórnio espirituoso, que apesar de seu ferimento se vira para enfrentar o cavaleiro cruel que o lança. Talvez o unicórnio ainda consiga um cavaleiro para pendurar em sua parede de troféus. A donzela parece angustiada, como deveria estar, já que ela colocou a besta nessa confusão em primeiro lugar. Pelo menos ela está gesticulando para o cavaleiro parar seu ataque, talvez o unicórnio a poupe quando ele acabar com seu agressor.


Biologia

Corviknight é um grande Pokémon aviário que se assemelha a um corvo. A maior parte de seu corpo é preto brilhante, mas o bico e as pernas são de cor fosca. Suas penas são temperadas com aço. Seu manto, peito, barriga, flancos e penas escapulares são lisos e se assemelham a uma armadura de placas. As garras, a cabeça e o bico superior de Corviknight possuem uma blindagem semelhante. Tem uma crista acima dos olhos que se assemelha a uma coroa e um colar de penas na garganta que se assemelha a uma barba. Os olhos de Corviknight têm pupilas brancas, íris vermelhas e escleras pretas.

É considerado o Pokémon pássaro mais forte da região de Galar, sendo capaz de assustar qualquer Pokémon que tente desafiá-lo. Devido à sua inteligência e habilidade de vôo, o Corviknight atende a uma empresa chamada Galar Taxi, onde transporta pessoas de um local para outro. & # 911 & # 93 Corviknight presas em Bunnelby. Tem violentos confrontos territoriais com Skarmory.

Como Gigantamax Corviknight, torna-se maior com uma aparência ligeiramente alterada. Enquanto Gigantamaxed, as asas do Corviknight são listradas com manchas vermelhas brilhantes de energia Dynamax, e sua gola de penas da garganta é mais robusta. A placa em seu peito e barriga separa-se em duas placas adornadas, e as placas em seus flancos são cortadas, de modo que se assemelham a mangas bufantes medievais. Oito penas chamadas pássaros lâmina nas costas das asas do Gigantamax Corviknight podem ser lançadas de seu corpo para atacar os inimigos de forma independente. Seus pássaros de lâmina também brilham com a energia Dynamax. Em sua forma Gigantamax, o Corviknight é poderoso o suficiente para gerar ventos com a força de um furacão. Ele pode usar suas enormes asas para pairar no ar em correntes ascendentes criadas durante o Gigantamax. Sua armadura reforçada quase não é afetada pelos ataques de seu oponente. & # 912 e # 93

Gigantamax Corviknight é o único Pokémon conhecido capaz de usar o exclusivo G-Max Move G-Max Wind Rage.


2. Eles assassinaram muitos judeus.

Pelos padrões do século 20, assassinar seis milhões de judeus torna você o maior monstro da história, e com razão. Até hoje, ninguém pode nomear seriamente seu filho & # 8220Adolf & # 8221 sem sujeitá-lo a uma vida inteira de olhares de esguelha.

A menos que ele seja um Kardashian, provavelmente. Eu te desafio, Kim.

Mas, na virada do milênio, ninguém parecia tão preocupado. Mesmo que as famílias judias financiassem e suprissem os cruzados, eles ainda eram excessivamente tributados e massacrados aos milhares.

Durante a Primeira Cruzada, Deus supostamente enviou aos cavaleiros alemães um & # 8220 ganso encantado & # 8221 para seguir. Esse ganso tinha uma agenda totalmente diferente. Isso os levou a um bairro judeu, que os cavaleiros imediatamente massacraram. Houve massacres antijudaicos em cidades como Worms, Mainz, Metz, Praga, Ratisbon e outras. Ficou confuso sobre por que essas cidades ainda são europeias? Eu também. Os cruzados nem haviam deixado a Europa antes de decidirem assassinar judeus.

Não tenho ideia de por que todo estado falido tenta iniciar uma recuperação matando judeus.

Os Cruzados erradicaram cerca de um terço da população judaica da Europa & # 8217s.


Células G:

Kong: Ilha da Caveira

Um Skullcrawler foi visto pela primeira vez banqueteando-se com um morto & # 160Sker Buffalo & # 160by & # 160Kong. Kong estava prestes a enfrentar a criatura quando foi emboscado por um segundo por trás. Após uma batalha rápida, Kong acaba subjugando e matando os dois Skullcrawlers enfiando a cabeça no chão, quebrando seu pescoço e esmagando o crânio do outro com um pisoteio devastador.

Outro Skullcrawler emboscou & # 160Jack Chapman & # 160 e um & # 160Spore Mantis, mas foi para Chapman e o comeu vivo enquanto o Spore Mantis conseguia escapar. O mesmo Skullcrawler então apareceu no cemitério e vomitou os restos mortais de Chapman. Quando & # 160William Randa & # 160 tentou fazer sua câmera funcionar, ele foi devorado pelo Skullcrawler, que então tentou atacar o grupo. A câmera de Randa começou a piscar dentro do predador, o que começou a irritar o monstro.

O Skullcrawler então começou a perseguir Weaver, mas o grupo retaliou usando lança-chamas. A criatura bateu em um membro da tripulação com sua cauda em um dos crânios de Kong, fazendo com que sua mochila detonasse várias latas de gás tóxico. O Skullcrawler começou a ficar mais implacável e perturbou um bando de & # 160Leafwings em repouso, que então voltaram sua atenção para atacar o grupo. Conrad conseguiu matar algumas das criaturas voadoras usando a katana de & # 160Hank Marlow. O Skullcrawler então fixou seus olhos em Conrad e & # 160Reg Slivko, mas Weaver os resgatou jogando o isqueiro de Conrad em uma das aberturas subterrâneas, criando uma explosão que matou o Skullcrawler no local.

O maior de todos os Skullcrawlers foi despertado devido aos explosivos sísmicos lançados na Ilha da Caveira junto com o resto de sua espécie, e depois que Kong foi incapacitado por Packard, ele deixou sua presença ser conhecida emergindo da água. Então ele atacou o enfraquecido Kong, rapidamente deixando o macaco inconsciente antes de voltar sua atenção para os humanos. Enquanto ele perseguia Conrad e os outros sobreviventes da expedição de pesquisa enviada para a Ilha da Caveira, & # 160Earl Cole & # 160 tentou se sacrificar junto com a besta armando várias granadas antes de a enorme criatura tentar comê-lo. No entanto, o monstro não mordeu a isca e o golpeou contra a encosta de uma montanha enquanto as granadas explodiam, matando-o.

Quando o grande Skullcrawler finalmente alcançou o resto da tripulação em um pântano, Kong apareceu a tempo de atordoar o réptil gigante com uma grande pedra, permitindo que a tripulação corresse para a segurança. O Skullcrawler então voltou seu foco para Kong, atacando-o e mordendo sua garganta. Kong e o Skullcrawler continuaram a lutar brutalmente, esmurrar e morder um ao outro até que o Skullcrawler jogou Kong em um naufrágio com sua cauda, ​​onde o macaco ficou preso nas correntes. Com Kong subjugado nos destroços, o Skullcrawler estava prestes a matá-lo quando ele é alvejado por & # 160Houston Brooks & # 160 e outros humanos. Ele então voltou seu foco para os humanos e se aproximou deles, dando a Kong a chance de se libertar das correntes.

Quando ele se aproximou da tripulação mais uma vez, o olho direito do monstro foi destruído por um sinalizador disparado por Weaver, e Conrad o atraiu para longe da tripulação em seu barco. Isso permitiu que Kong usasse e girasse a hélice de um navio naufragado em seu adversário como um mangual medieval, que pegou a fera no ombro e permitiu que Kong puxasse o Skullcrawler de volta em sua direção e retomasse sua luta. Kong continuou a lutar com a criatura e o jogou na lateral de um penhasco, fazendo com que Weaver caísse na água abaixo.

Enquanto o Skullcrawler continuava a atacar Kong, o macaco golpeou-o com a hélice da nave, cortando a garganta do monstro e aparentemente matando-o. Enquanto Kong salvava Weaver do afogamento, o Skullcrawler atacou Kong mais uma vez. Depois de enrolar o rabo em torno de Kong, ele passou a língua ao redor do braço do macaco, puxando-o pela goela em uma tentativa de devorar Weaver enquanto ela estava agarrada na mão de Kong. Depois de uma breve luta, Kong arrancou os órgãos internos da criatura pela boca, matando-o instantaneamente.

Godzilla: Rei dos Monstros

Na novelização do filme, os Skullcrawlers pretendem deixar a Ilha da Caveira ao ouvir o chamado de & # 160Ghidorah, mas são interrompidos por Kong antes que possam fazê-lo.

Godzilla vs Kong

Os Skullcrawlers estão & # 160 configurados para retornar em & # 160Godzilla x Kong.


Sexta-feira, 15 de janeiro de 2016

Defendendo seu território

Uma das principais formas pelas quais os animais se comunicam e defendem seu território ou pertences contra outros animais é por meio da marcação com cheiro. Isso envolve esfregar objetos ou criaturas com glândulas odoríferas, urinar, defecar e outros métodos de deixar um cheiro distinto no alvo. A linguagem de cada espécie inclui o cheiro como um componente, e ninguém que aprenda a linguagem de outra espécie pode realmente entendê-la sem conhecer o repertório de mensagens de cheiro dessa espécie.

Quando um objeto ou área torna-se disputado entre dois ou mais animais, uma batalha de odores pode acontecer. As batalhas de odores são uma espécie de conflito não letal por procuração, mas seguem regras diferentes, uma vez que as partes geralmente não estão presentes ao mesmo tempo. Uma das partes marca um alvo com seu cheiro, então o outro personagem aparece mais tarde e tenta dominar o cheiro anterior. Isso pode durar dias, às vezes meses, sem que os dois personagens realmente se encontrem. Isso não significa, no entanto, que as batalhas de odores sejam invencíveis ou travadas por atrito. A vitória pode ser alcançada dependendo da diferença nos Dados de Vida / Níveis Totais entre os dois animais envolvidos.

Tabela 4.4 Matriz de resolução de batalha de perfume mostra uma maneira de resolver o conflito. É baseado na habilidade do clérigo do jogo de fantasia original & # 8217s de & # 8220 derrubar os mortos-vivos. & # 8221 Um jogador consulta a coluna à esquerda, & # 8220 Nível PC, & # 8221 para encontrar seus próprios Níveis Totais atuais. Ela então cruza as referências com os Dados de Vida ou Níveis Totais de seu oponente à direita. O número mostrado é o modificador de sua jogada de dados central ao tentar ganhar uma batalha de cheiro contra aquele oponente, isto é, o número que ela adiciona à sua jogada. Um * indica vitória sem rolar. O personagem oponente simplesmente desistirá da luta e seguirá em frente.

NPCs que falharem em três batalhas de cheiro consecutivas também desistirão e seguirão para outra área.

Observe que este é o modificador aplicado à sua jogada de dados principal durante uma Batalha de Perfume, a menos que você tenha o nicho do Guardião. Os guardiões podem adicionar seu resultado de nicho de rolagem de dados a um teste de Batalha de Perfume.


Personalidade

Tsuyu é um indivíduo franco e indiferente que sempre fala abertamente de sua mente e o que pensa dos outros. Tsuyu prefere ser chamada de "Tsu", mas apenas por pessoas que ela considera amigas. & # 911 & # 93 Ela geralmente se refere a todos com o título honorífico "-chan", exceto professores e outras figuras de autoridade.

Tsuyu acalmando Ochaco assustado.

Os pais de Tsuyu estavam sempre ocupados no trabalho, exigindo que ela se tornasse a cuidadora de seus dois irmãos mais novos ainda jovem. Sob essas circunstâncias, Tsuyu cresceu e se tornou um indivíduo altamente maduro e responsável, que podia dividir sua atenção entre as tarefas escolares e domésticas sem deixar que um interferisse no outro. Isso também significa que Tsuyu sabe liderar e cuidar das pessoas, mantendo-as seguras e à vontade caso não se sintam assim. Ela tem uma moral, objetivos e princípios fortes e está disposta a se opor a seus amigos para defendê-los de decisões que considera precipitadas. Quando vários membros da Classe 1-A concordaram em resgatar Katsuki Bakugo após a Invasão do Esquadrão de Ação de Vanguarda, Tsuyu foi o mais franco contra isso, afirmando que agir de acordo com suas emoções e quebrar a lei para resgatá-lo os tornava essencialmente iguais aos vilões. & # 912 e # 93

Tsuyu mostrando um raro momento de fraqueza emocional.

Tsuyu está visivelmente calmo e controlado, sendo capaz de se manter equilibrado e focado mesmo nas situações mais estressantes. Uma excelente aluna desde o ensino médio, Tsuyu tem grande discernimento, pode comunicar suas intenções facilmente e raramente é movida pela emoção, o que a torna uma aliada incrivelmente confiável que é capaz de encobrir as fraquezas de um parceiro. Por essas razões, a Recovery Girl a descreve como um "pilar perfeito de suporte emocional". & # 913 & # 93 No entanto, até mesmo Tsuyu tem limites quando se trata de manter a compostura, tendo caído em desespero ou desgosto algumas vezes. Suas palavras também podem soar involuntariamente ásperas, graças à sua franca honestidade, resultando em um sentimento de culpa e arrependimento quando fala contra os amigos.

Sua expressão usual consiste em um olhar vago, o que torna a leitura de seus pensamentos e emoções difícil para aqueles ao seu redor, ao mesmo tempo que os assusta no processo. Tsuyu tem o hábito de colocar o dedo na boca enquanto fala, pondera ou mostra curiosidade. Ela tende a dizer "ribbit", emulando o coaxar de uma rã, no final de suas frases, ou como uma substituição para muitas de suas respostas de uma única palavra.


Exemplos

  • Armitage III: O vilão D'anclaude tem o hábito de transformar robôs de segunda geração em bombas ambulantes.
  • Jogou para risos em Baka e teste: convocar as feras. Classe F, a pior classe, está em guerra com a Classe B. Eles parecem estar tendo alguns problemas, até que o líder da Classe F dá a Akihisa uma arma secreta. Ele diz a seus colegas que o representante da Classe B está namorando o representante da Classe C, o que os enfurece e os faz explodir seus personagens na guerra de invocadores, a fim de eliminar os alunos da Classe B muito mais fortes. Em grande parte funciona, embora o representante da Classe B tenha um truque próprio.
  • Choujin Sensen: Baron engole uma granada viva e agarra Tomobiki à força em uma tentativa de acertar seu alvo.
  • O segundo episódio de O cockpit é sobre um esquadrão kamikaze.
  • Dragon Ball Z:
    • O Mafuba (Evil Containment Wave) da série original, que Mestre Mutaito usou para aprisionar Piccolo. Roshi tenta selá-lo novamente, mas falha e morre em vão. No entanto, um usuário jovem e suficientemente poderoso pode sobreviver à técnica: Tenshinhan o fez quando a tentou contra Piccolo (embora ele fosse severamente enfraquecido e, se Goku não tivesse puxado um Big Damn Heroes, ele estaria indefeso contra quaisquer ataques futuros), e Kami foi capaz de usá-lo contra Piccolo Jr (embora tivesse revertido sobre ele e ele próprio foi selado brevemente). E então Future Trunks fez isso em Dragon Ball Super. E mais tarde em Super, Roshi se tornou suficientemente mais forte para ser capaz de usá-lo três vezes sem morrer. Embora a terceira tentativa quase matou ele.
    • O ataque de autodestruição do Saibaman é a única instância em toda a série que mata seu alvo como pretendido, e agora Yamcha carrega para sempre a vergonha de ter sido morto por bucha de canhão.
    • Chiaotzu tentou isso em Nappa. Ele morreu, Nappa não.
    • Mais tarde, Tien tentou vingá-lo com o Kikoho (Tri-Beam), um ataque tão mortal que devora a vida de seu usuário, com o objetivo de matar Nappa e se matar, para que ele veja Chiaotzu novamente. Também não funcionou, provavelmente porque ele já estava gravemente ferido antes de tentar.
    • O Android # 16 tenta destruir Cell agarrando-o e ativando o sistema de autodestruição que o Dr. Gero construiu em todos os seus Androids. e, infelizmente, é quando ele descobre que Bulma removeu a bomba quando eles o estavam reconstruindo. Cell não perde tempo em destruí-lo. Mais que vergonha, a reação de Cell sugere que pode ter realmente funcionado.
    • Há um exemplo de autodestruição matando com sucesso uma alvo, mas aquém do efeito pretendido. Quando a luta de Cell com Gohan não estava indo como planejado, em desespero, ele optou por levar todos com ele por meio de uma autodestruição tão poderosa que destruiria todo o planeta. O que Cell falhou em explicar foi que Goku poderia agarrar Cell e teletransportá-lo para fora do planeta antes da explosão.
    • Na Saga Buu, Vegeta descobre que, já que Majin Buu pode se regenerar de uma única célula, a única maneira de matá-lo para sempre é destruí-lo de uma vez e realizar um ataque de Esfera de Destruição que gasta sua energia vital (de alguma forma causando seu corpo se transformar em pedra no processo). Infelizmente, ele falhou em pegar toda Buu com o ataque.
      • No Super, Vegeta faz o mesmo movimento em Toppo durante o Torneio de Poder. Ele não apenas consegue eliminar seu oponente, mas sua maior força nos anos que se passaram permite que ele sobreviver com apenas sua armadura arruinada!
      • No Digimon Adventure, A primeira aparição de Angemon faz com que ele coloque todo o seu poder, junto com muito do poder dos outros Digimon, em um ataque para destruir Devimon. Funciona & # 133 e Angemon é imediatamente reencarnado como um Digi-Egg, embora Patamon não chegue a esse estágio novamente por quase trinta episódios.
      • No Digimon Adventure 02 Magnamon chama isso de ataque. Extreme Jihad.
      • No V de Vingança, V usa isso como uma ameaça contra a recepcionista no prédio BTN.
      • No Santo Terror, os terroristas atacam com homens-bomba antes de enviar jatos e mísseis stinger.
      • Transformers: mais do que os olhos introduziu Decepticons classe K, Decepticons que têm seu modo alternativo substituído pelo de uma bomba. Esses indivíduos são fanaticamente dedicados à causa ou criminosos condenados a isso em vez de execução.
      • Pior X-Man de todos os tempos é sobre um menino que descobre seu poder mutante de ser capaz de explodir e morrer rapidamente, o que significa que ele enfrenta o medo e o preconceito que os mutantes enfrentam sem nenhum dos benefícios potenciais. Seus poderes acabaram chamando a atenção de Magneto e da Irmandade dos Mutantes do Mal, que querem usá-lo para assassinar Xavier. No final, ele usa sua habilidade para matar seu ex-colega de classe, que matou Xavier e conquistou o mundo.
      • Hellcats do caçador: No Nossas Forças de Combate # 117, os nazistas recrutam um bando de fanáticos do Oriente Médio que organizam ataques suicidas a bomba em trens franceses. Os nazistas então afirmam que essas explosões foram o resultado de bombardeios aliados como parte de uma operação de bandeira falsa.
      • Este é o modo de operação para Darkseid's Suicide Jockeys, conforme apresentado nas páginas de Orion.
      • The Ultimates: Capitão América consegue saltar para o foguete e, com alguns explosivos, destruir o sistema de orientação interna, de modo que saia do curso. Ele salva os Estados Unidos, à custa de sua vida (ou assim parecia para todos, incluindo ele).
      • Esta é a ação final que o herói faz em I Did Not Want To Die.
      • Quase ordenado pelo comando militar Jakobs em Origens, uma Efeito em massa/Guerra das Estrelas/Borderlands /aréolaMassive Multiplayer Crossover & mdashpitting um par de contratorpedeiros contra um enorme e avançado superdreadnaught não é considerado uma boa tática. Aqueles sob o comando de Jakobs sabem que isso é o que vai acontecer, mas vá em frente porque Minha Empresa, Certo ou Errado.
      • No Nem um pássaro nem um avião, é Deku!, Izuku de quatro anos se lembra da batalha de All Might com Lord Death Man, um supervilão cuja regeneração Quirk lhe permitiria sobreviver à explosão de uma poderosa bomba que ele amarrou em seu peito. All Might contorna isso usando seu Oklahoma Smash para arremessar Lord Death Man bem longe quando a bomba está prestes a explodir. Izuku tenta replicar isso quando Bakugou está ocupado agarrando-se a ele e disparando explosão após explosão, apenas para ficar boquiaberto de horror quando Bakugou sai voando através de uma parede de tijolos.
      • No O Poderoso Chefão Parte II, enquanto Michael Corleone está visitando Cuba durante a Revolução Cubana, ele testemunha um guerrilheiro comunista explodindo a si mesmo e a alguns soldados do governo com uma granada de mão.
      • Guerra das Estrelas:
        • No Retorno do Jedi, o A-Wing do piloto Rebelde Arvel Crynyd é criticamente danificado durante a batalha sobre Endor e ele passa a estar perto da ponte de comando do Executor, então o que ele faz? Bate sua nave na ponte de comando, fazendo com que o gigantesco Star Dreadnought colida na nova Estrela da Morte, o que muda o rumo da batalha como resultado.
        • O último Jedi:
          • Os bombardeiros da Resistência se sacrificam para destruir o Dreadnought de Primeira Ordem que estava prestes a destruir a nave de comando da Resistência.
          • A vice-almirante Amilyn Holdo ganha tempo para os remanescentes da Resistência de uma maneira espetacular, ligando o hiperdrive de sua nave de comando. bem na cara do Supremacia, A monstruosa nau capitânia do Supremo Líder Snoke, e avançando na velocidade da luz. A explosão resultante corta o referido navio pela metade e destrói cerca de metade da frota de Primeira Ordem ao redor.
          • Os mocinhos têm uma epifania sobre o ponto fraco da nave alienígena, mas ninguém tem mais mísseis - exceto um, que não funciona bem. Sem outra escolha para parar o ataque inimigo que destrói tudo, o piloto do jato defeituoso pilota-o direto no referido ponto fraco. Boom vá o míssil, o jato, o piloto e a nave alienígena gigante.
          • É muito mais explícito no final original rejeitado, em que o piloto não participava da batalha em um jato, mas aparecia com uma enorme bomba amarrada a seu biplano pulverizador de plantio. Em outras palavras, Fridge Logic sugere que ele seguiu com o plano desde o início, sabendo que iria explodir a si mesmo. Os cineastas reconheceram como era essa ideia de Narmy e a mudaram para o famoso sacrifício heróico comovente que conhecemos hoje.
          • O "Esquadrão Suicida por Crack da Frente do Povo da Judéia" cometeu suicídio em massa matando-se com espadas. Última linha famosa: "Isso vai mostrar a eles!"
          • Nenhum soldado romano pode ter morrido, mas todos eles fugiram aterrorizados!
          • O que o instrutor de terroristas suicidas diz para sua classe? "Preste atenção, só vou fazer isso uma vez." A propósito, a verdade é mais estranha que a ficção.
          • Um homem trabalhava no Oriente Médio, mas ficar longe de casa o deprimia muito. Ele ligou para a linha direta de suicídio local e os conselheiros ficaram todos animados, perguntando "Você pode dirigir um caminhão?"
          • A história de fundo de "Frictional Losses" de John W. Campbell mencionou os motores de aviões japoneses supercarregados, enchendo os aviões de explosivos e lançando-os contra os navios inimigos. O inimigo na história de Campbell era extraterrestres, e uma vez que os japoneses nos deram a ideia, o resto das nações da Terra começaram a usar kamikazes contra os alienígenas também, e é por isso que eles não eliminaram a humanidade completamente (eles fez detonar o Japão da face da Terra). Ele escreveu esta história em 1936.
          • Na série História alternativa, Linha do tempo-191, os homens-bomba são chamados de "Bombas de Pessoas". A tática foi inventada pelos mórmons durante a Segunda Grande Guerra e mais tarde adotada por marxistas negros, armênios e outros grupos de resistência.
          • No Safehold série, o Grande Inquisidor Clyntahn cria o "Projeto Rakurai", que é projetado em torno do uso de tais bombardeiros carregando vagões carregados com pólvora como as bombas.
          • No Fantasmas de Gaunt história Necrópole, um grupo de trabalhadores presos da devastada guerra Vervunhive se uniram para lutar contra os invasores de sua casa, com forças militares acontecendo para encontrá-los e ajudá-los. Seus inimigos têm tanques, o líder dos trabalhadores explicou que eles adaptaram envoltórios de cargas de mineração que eles colocaram e anexaram aos ditos tanques. Sendo este o Imperium, os trabalhadores usaram o método diligentemente. A surpresa inicial do oficial militar ao ouvir sobre essas táticas perigosas sendo constantemente empregadas rapidamente se espantou com a coragem e determinação dos trabalhadores.
          • No decorrer 24 Dia 8, Marcos (meio Kamistani) faz isso principalmente para vingar seu pai. Ele se rendeu e pediu para que seu colete fosse retirado, mas ele explodiu de qualquer maneira devido a falhas.
          • Battlestar Galactica teve essa tática usada pelos Cylons e pelos Coloniais em circunstâncias diferentes.
            • A série original tinha Cylon raiders fazendo kamikaze runs na Galactica, às vezes com seus navios pré-embalados com explosivos.
            • Battlestar Galactica: Blood & amp Chrome: O Osiris voa diretamente para a estrela-base Cylon e dispara todas as suas armas nucleares de uma vez para destruí-la.
            • O enredo de Caprica é iniciado por um atentado suicida.
            • No "Dia dos Daleks". Dois atentados suicidas naquele, ambos contra Daleks.
            • Os próprios Daleks fazem isso em "Destino dos Daleks", apesar de terem dito anteriormente que o suicídio por uma causa não é lógico.
            • Na "segunda-feira", Scully e Mulder continuam sendo mortos porque não sabem que o ladrão de banco está conectado com explosivos, que ele detona quando a situação parece desesperadora. Mesmo quando Mulder fica sabendo disso, ele não pode parar os eventos até que o ladrão atira acidentalmente em sua namorada, e está emocionalmente atordoado para até cometer suicídio.
            • "Babylon" começa quando terroristas islâmicos cometem um atentado suicida contra uma galeria de arte que exibe desenhos animados do profeta Maomé. Um deles sobrevive, com Mulder e Scully tentando se comunicar com ele para que possam encontrar sua cela, que estão planejando novos bombardeios.
            • No terceiro episódio, um Kavalryman faz o senador Keene como refém ao ameaçar explodir a si mesmo com uma bomba instalada no seu coração, então ela explodirá se atirarem nele. Laurie atira nele mesmo assim, acreditando que ele estava blefando. No entanto, acontece que ele não estava, e Angela tem que jogar rapidamente seu corpo na cova aberta para que a explosão seja contida enquanto as pessoas correm em busca de segurança.
            • No sétimo episódio, um flashback mostra que os pais de Angela foram mortos por um homem-bomba vietnamita, junto com vários soldados (eles eram o alvo).
            • O videoclipe da versão Disturbed de Terra da confusão (feito por Spawn artista Todd McFarlane) apresenta uma jovem com uma bomba amarrada ao corpo e um detonador na mão, preparando-se para apertar o botão enquanto um clérigo nodoso jorra retórica.
            • In the video clip of Rammstein's "Ich Will", the band commits a terrorist heist on a bank. Five members get out, one stays behind with a bomb strapped to his chest which he eventually detonates.
            • A lot of goblin cards in Magic: The Gathering, the Goblin Grenade&loz from Fallen Empires being the exemplar of this trope.
            • Warhammer 40,000, naturally. A small minority of Tau commander battlesuits are equipped with bombs. The Tau themselves consider this "the greatest expression of the Greater Good one can make". This isn't used em massa because battlesuits - and good commanders - take a long time to produce. The Tau otherwise do not have suicide attacks in their army, and view suicidal last stands as foolish they prefer to feign retreat, or really retreat, then come back when the situation is more favorable.
              • At least as of 4th Edition, and we're in 7th as of 2016, this is portrayed not as a suicide attack but as a Heroic Sacrifice the model with the bomb, when it would be dead anyway due to wounds or a sweeping advance, triggers a bomb that damages the attackers. In the older edition, it allowed the bomber's comrades to pull away from close combat and have a chance for survival. In the newer edition, battlesuits generally will save against the bomb, and the explosion may tip combat in their favor, allowing the Tau line to hold. In either case, the model with the bomb only sets it off when the model would already be dead and when its unit is almost certain to be overrun and slain.
              • Orks have been known to use Gretchin as missile guidance systems - as in, the gretchin sits on the missile and makes sure it goes where it's meant to - when not using them as duck boards, squig bait, bullet shields or footballs. Generally the Gretchin only realises this is what's going on when it's too late to back out.
              • Happens often among the Tyranids, who will happily hurl themselves in unending waves of chittering bodies at enemy lines. Being but extensions of a vast Hive Mind and thus (with extremely few exeptions) having no sense of self, they don't hesitate to eat up enemy ammunition with their own bodies. Some breeds aren't even born with digestive tracts, because it's a certainty that they won't survive long enough to process anything and the Hive Mind doesn't bother wasting the organs.
              • Sisters Repentia are nuns wearing a few rags and a few pieces of holy text who are armed with two-handed chainsaw swords, led by a black-clad Mistress who has a high tech whip in each hand, and who charge into battle in a fervor trying to redeem themselves in death or slaughter. Never let it be said Warhammer 40,000 knows what restraint means.
              • Now canceled Warhammer Fantasy and Warhammer: Age of Sigmar have flagellants, who are doing essentially the same thing as the Sisters Repentia, but with proper Dung Ages clothing, medieval weapons, no fanservice, and no BDSM undertones.
              • Binky Show: Garden gnomes will run at you and explode on contact.
              • Dune:
                • No Dune II Ordos Saboteur units had bombs strapped to themselves, and had a suicide attack.
                • No Emperor: Battle for Dune Besides the original Saboteur units, a new aerial unit called the Eye In The Sky also had an attack where it self-destructed with a Saboteur ejecting out of it.
                • Banzai Charges.
                • In Black Cats level, several Japanese planes attack as kamikazes.
                • Command & Conquer: Red Alert Series:
                  • Command & Conquer: Red AlertExpansion PackThe Aftermath provided the two first suicide units in the game: The Nuclear Demolition Truck and MAD Tank. The MAD Tank is a special case, in that the pilot actually gets out before it explodes, and the MAD tank only harms vehicles, not infantry. Both are Awesome, but Impractical however, as the Demo Truck had a tendency to explode at the slightest provocation (i.e: infantry gunfire) and mass producing them sometimes caused your base to be crowded with mini-nukes that'll go off in a chain reaction of anything bad happend (like an airstrike). MAD Tanks on the other hand had to deploy for several seconds, more than enough time for any enemy units nearby to simply flee the vicinity, not to mention it cost quite a lot to deploy in the first place.
                  • The (Cuban) Terrorist unit in Command & Conquer: Red Alert 2 is the infantry variant, while the Libyan nuclear demolition truck is the vehicular variant.
                  • Crazy Ivans in Command & Conquer: Red Alert 2 can attach time-bomb to virtually every unit, including friendly or mind-controlled, thus making any unit ingame potential Suicide Bomber.
                  • Command & Conquer: Red Alert 3: One of the special abilities of the Empire is "Final Squadron X'', a squadron of suicide aircraft (although they are only drones). The Yari Minisubs are manned though, and while not a pure suicide unit, it can be used as such with devastating effects. The Empire also has the Honorable Discharge upgrade, which makes all of their units explode and damage other nearby units when they're killed.
                  • In the original game, the Global Liberation Army has the Terrorist and Bomb Truck units. The latter can upgrade with even more explosives and/or poison warheads. They also have the aptly-named Demo Traps, which are cheaply constructed roadside bombs.
                  • Taken Up to Eleven with General Juhziz in the Expansion PackZero Hour, who has an upgrade that will turn everything (bar main structures) into suicide attackers, and his Advanced Demo Traps are both cheaper and stronger. Meanwhile, Master Poisoner Dr. Thrax has Toxin Terrorists, i.e. Terrorists that explode and leave behind poison clouds and Toxin Demo Traps, which do the same. Their Bomb Trucks are also locked into high-explosive and anthrax warheads, respectively.
                  • Command & Conquer: Renegade had no innately self-destructive enemies in the single player mode, but more than a couple of deranged folks in multiplayer would stack bricks of C4 onto a cheap, fast vehicle and charge headlong into the fray. As only repairguns could disarm C4 and the healing beams didn't discriminate against friend or foe, this meant that most attempts ended only with the willful detonation of the C4 blocks (or waiting until the 30 second fuse burned down). In most servers, allies were Friendly Fire Proof, so it was theoretically possible that allies could stick each other with C4 before joining a pitched fight, especially since even the cheapest, Mookiest infantryman spawned with a timed C4 block.
                  • As well as the Nod Fanatics from Command & Conquer 3: Tiberium Wars.
                  • The scourge are the flying version of this for the Zerg.
                  • In addition, the end of StarCraft has Tassadar carrying out a Suicide Attack on the Overmind .
                  • In the sequel, Zerglings can morph into Banelings, which are a purely biologic version of this.
                  • The Goblin Sappers seen in Warcraft II (as well as their counterpart the dwarven demolition squad), Warcraft III e World of Warcraft are trained only to blow themselves up and damage enemy buildings. World Of Warcraft also has an engineering gadget called "Goblin Sapper Charge", which allows the player to do this as well.
                  • o Warcraft III expansion pack The Frozen Throne features troll batriders who can set themselves to explode on enemy flying units.
                  • The Demolition Ships and Demolition Raft (added in the expansions) are ships loaded with explosives that collide and explode on ships, dealing damage to a group of them.
                  • Added in the Conqueror expansion, the Petard unit (the real life basis of which is the Trope Namer for Hoist by His Own Petard) is a medieval suicide bomber.
                  • No Definitive Edition, the Flaming Camels are camels with burning hays wrapped on top of them that explode on enemy troops, which deals bonus damage against cavalry and elephants. Their appearance in the Tamerlane's campaign is based on how Tamerlane deals with the war elephants. It was originally a scenario-only unit but was added in March 2020 patch for the Tatars civilization once they researched the Timurid Siegecraft unique technique.
                  • The Ullapool Caber is this for any Demoman who has taken moderate damage and doesn't have a shield.
                  • A partir de Halo 3 onward, Grunts will sometimes light up two plasma grenades in their hands and charge at you. Suicide Grunts are even a specific unit in Halo Wars e Halo Wars 2. It's become such an iconic part of their behavior that in Halo 5: Guardians, even Grunts piloting Beam Goblins will at low health occasionally overcharge their energy cannons to wildly unstable levels in order to turn themselves into mecha-shaped bombs.
                  • Additionally, Flood Carrier Forms have no means of attack other than walking up to someone and exploding the Infection Forms they carry are a half-example, as they only explode when attacking shielded foes.
                  • Second Generation introduces Perish Song, which makes both the user and the target faint in three turns.
                  • Fourth Generation has the friendly version Healing Wish, which heals the user's team instead of causing damage, and Memento and Grudge, which severely cripple the opponent in exchange for the user's life.
                  • Fifth Generation gives us Final Gambit, which has the user sacrifice all of its remaining HP to cause the same amount of damage to the enemy. Because of its nature, it is best used by Pokémon with high HP.
                  • Masterminds with Traps as their secondary powerset can also get the Detonator power, which allows them to do this to their henchmen, though henchmen that aren't zombies or robots will try to set the bomb down and get away before it blows.
                  • Your sidekick Darkling in the sequel performs a LOT of actions that keep constantly killing him, but since he respawns each time, he bears with it. Until the ending, when he dies for real by burning from Hell-stored sunlight .
                  • One of Zaeed Massani's retirement plan ideas (since the other ones are unlikely retirement opportunities) involves taking a ship filled with explosives and ramming it in to the Omega station.
                  • Fujiwara no Mokou, the Extra Stage boss of Imperishable Night, dies after her spell cards. However, since she's immortal, she just comes back to life and continues pelting you with danmaku until she gets tired. When she reappears in Urban Legend in Limbo she has gained an attack that effectively annihilates her body in a pillar of fire. On the flip side, this Suicide Attack actually heals her of all self-inflicted damage.
                  • No Killing Floor 2, critically injured Husks will charge toward you and attempt to detonate their fuel tanks at point blank. If you don't have armor, well. .
                  • Of course they would survive. Boss Borot would routinely fall apart during combat because it was made out of junk. In Heero's case, he actually fez make his Gundam self-detonate while standing just outside the cockpit e survived (though he hadn't intended to).
                  • The sequel has Suicide Psychos, who has this as their primary attack as well as the EXP Loader, robots who run up to the player and self-destruct.
                  • . and with the Psycho DLC pack, you can even play as a Suicide Psycho: One of Krieg's skills replaces Fight For Your Life mode with a phase called Light The Fuse in which you throw dynamite left and right and finally blow yourself up, instantly coming back to life if you manage to kill something in the process.
                  • Wilhem's "Termination Protocols" skill in Borderlands: The Pre-Sequel! is similar to Light the Fuse: Wilhelm no longer goes into normal Fight for your Life instead, he can fire normally, generates a constant electrical field, and explodes when Termination Protocols ends, gaining Second Wind if he gets a kill.
                  • The Fallen begin deploying Exploder Shanks with the House of Wolves expansion.
                  • The Hive like to send out Cursed Thralls along with a Zerg Rush of regular Thralls.
                  • The Vex have the Fanatics, which are headless, shambling zombie-like units. Destroying them leaves a pool of electrified radiolaria on the ground, which can damage the player.
                  • No Destiny 2: Forsaken, the Scorn have the Screeb, which function a lot like the Cursed Thralls.
                  • Kamikazee also reprises this role in Hero's appearance in Super Smash Bros. Ultimate, where it KOs Hero himself to inflict massive damage on all nearby enemies. Just don't use it on your last stock.
                  • If a Juggernaut Frigate reaches the opponent’s battleship, it will bore into the hull with its prow-mounted drill before exploding in a spectacular fashion for massive damage.
                  • Several NPCs will tell you that this is how the original Ellys Idaho (whom your character is a clone of) defeated the Survivalists: he loaded a battleship with nukes and piloted it into the crust of Ganyma, killing everyone on the planet at the cost of his own life. This is a lie. Idaho was ordered to nuke Ganyma but refused to do so on moral grounds, so Emperor Oberon killed him and had Okonkwo nuke the planet instead.
                  • The first episode of Ambition features a Western suicide bomber with elements of Papa Wolf.
                  • The drones in Frozen Flame by Mahu use this tactic. Controlled from afar, they mindlessly charge into the enemy force, exploding violently once they are destroyed. After the last drone explodes, the real army follows the attack, taking care of whatever enemy is still alive.
                  • De acordo com Dream'sexplanation video of the Minecraft Manhunt grand finale, Sapnap was trying to use the bed to explode Dream before he could kill the dragon, but instead, he exploded himself and Dream got the achievement.
                  • Shaun: In Dropping the Bomb: Hiroshima & Nagasaki the fact that Japanese pilots late in the war were mostly reduced to suicide attacks due to limited resources and the depletion of their well trained pilots is brought up while discussing the many factors that led up to the decision to drop nuclear bombs on two cities.
                  • Volaster from Heartcore and his Blast Bomb spell. This is pretty much an ability with the same power as a nuke, meant to take down entire cities with him.
                  • Esse Subnormality strip gives a Take That! towards them with a unique approach to the old 72 virgin joke.
                  • Baskets of Guts: Myconid terrorists explode themselves in highly populated areas not to kill as much people as they can, but to infect them with their spores.
                  • This is the only method the kids can come up with to blow up the Green Sun in Homestuck.
                  • The Mask features this. "Cookie Baboom" decides to launch a suicide attack after her boyfriend, who happens to be the mayor, breaks up with her. Como? By wearing nothing but a crude and skimpy bikini made entirely of dynamite.
                  • One reason why suicide bomb attacks these days are so fearsome is because they can come without warning and you can't really know who orchestrated the attack as the only evidence is already dead. Also the collateral damage caused by a detonation, whether the attack was successful or not, always has a negative psychological impact with physical damage tending to be a second priority.
                  • The War on Terror, the Arab–Israeli Conflict and the Sri Lankan Civil War, sadly, have produced countless examples.
                  • In the final months of World War II, the Imperial Japanese Army and Imperial Japanese Navy developed - with the tacit approval of the rubber-stamp civilian government - separate programs for 'Tokubetsu Kogeki'/'Special Attack' units. Today these units and their function are better known by the informal term "kamikaze" - after the 'Divine Wind' (a great typhoon) that sank one-and-a-half of the two invasion fleets Kublai Khan forced the Mongol-controlled Yuan Empire of China to send against Shogunate Japan in the 13th century. Given the US Navy had countless numbers of anti-aircraft guns and the US Army had nearly fifty years of experience dealing with suicide attacks from infantry, they failed.
                    • The experience above was caused by dealing with the Islamic Filipino Juramentados, who would tie ropes around their bodies, sneak upon enemy soldiers, officers and policemen and then charge with a sword. The Spaniards, who had experienced this before the Americans, were terrified, as their handguns weren't powerful enough to drop them at once and the ropes would slow the bleeding out. The Americans adopted more powerful guns (including the Colt Single Action Army in .45 Colt as a stopgap, revolvers in the .38 Special round developed just for them, and, ultimately, the Colt M1911), allowing their men to drop the attackers.
                    • However, some military findings suggest that even conventional attacks by Japanese air fleet would be considered suicidal. On average, a conventional air attack yielding 5 hits on a US Navy ship would cost the Japanese 88 losses for conventional attack yet a Kamikaze attack would deal the same damage at the cost of 56 losses. Furthermore, Japan's neglect of rescue forces means that any surviving pilots who were shot down would be more or less dead anyways. Regardless of the tactic, every attack on the US Navy would be a death sentence and that the Kamikaze attacks are an improvement com fewer losses to the Japanese.
                    • According to The Other Wiki, Hezbollah introduced suicide bombing to the Middle East in 1983 with the attack on the US Marines. Suicide attacks were introduced in 162 BCE by Eleazar ben Mattathias, younger brother of Yehuda the Hammer, who hit upon the technique of killing a war elephant by running under it and stabbing up from underneath
                    • However, the obvious reality is that suicide bombing is inferior to regular bombing as an attrition strategy, if you can pull off the regular kind. Indeed, for a while, suicide bombing was on the decline the Middle East it was brought back by Palestinian terror groups, who had low survival rates of their terror attacks in Israel. Although the situations aren't really comparable, in the nature of attacks and the Israeli access to weapons, this is frequently held up in American politics as one of the concrete examples of a "Good Guy With a Gun" working.
                    • Fatah provides large financial incentives for Palestinians to kill Israelis, which they will pay to the attacker's family even if the attacker dies. However, they also provide incentives to survive, get caught, and be put in an Israeli jail for a very long time, zig-zagging the trope.
                    • Elas fez usually have an escape plan ready - sometimes every single bodyguard was in on the plot, for example. They only used this tactic when they wanted to make a really strong impression or were desperate. Good assassins take a long time to train.
                    • Somewhat subverted in that the crew of a fire ship would tie all the important lines tightly, so the ship would continue on its way for a while, then escape in a smaller boat or, if desperate, by swimming (presuming they knew how. Most sailors didn't, back then.). Actually dying with a fire ship was not usually on the cards.
                    • On the same basic lines, the Japanese fielded the Ohka (Yokosuka MXY7). They were more honest about the pilot's chances and bolted the canopy in place once the pilot climbed inside. US sailors had their own name for the weapon: "Baka Bomb".

                    Video Example(s):


                    5 ways spouses can help service members’ PT scores

                    Posted On March 18, 2019 21:16:39

                    Help! My service member needs to lose weight to stay In…how do I help?

                    This is a question that all of us have either heard or asked ourselves at least once during our trials and tribulations as a military family.

                    1. Accountability

                    Commit to holding them accountable while they’re in the process of dropping the weight. Participate WITH them. As a spouse, it’s crucial that we actively help them pursue their goals. When our loved one needs to lose weight, with that territory comes dedication to doing whatever is needed to help them succeed – their career is on the line!

                    This means removing processed foods from your shopping list, learning what “clean” ingredients to buy instead, encouraging them to be more physically active (any activity is better than none), and even sending them silly text messages or emails daily with emojis reminding them to drink more water.

                    Back in early 2016, my husband and I learned first-hand how important this is. It truly made a massive difference when we committed to getting healthy TOGETHER. I was much better at staying on schedule as we learned to eat more frequent meals and had to constantly stay on him at first to make sure he was remembering to eat. He was excellent at staying focused and not eating a bite of this or a taste of that. He really kept me in line when I appeared close to straying. Tiny bites off the kids plates can truly throw you off course!

                    2. Workout smarter, not harder

                    Most people actually perform their workouts in the wrong order! Maximize your time in the gym by always doing your HIIT and strength training (yoga included) BEFORE fat-burning cardio.

                    3. Encourage sleep

                    Support them in getting to bed earlier. Make sure they aren’t using their snooze button, instead just set the alarm 30 minutes later if that is what time they really intend to get up.

                    4. Remove inflammatory ingredients from cupboards

                    Cut out salt, gluten, cheese yogurt, soy protein, grains, artificial sweeteners, processed sugars, soda, alcohol, coffee caffeinated tea for a week. A simple 7 day detox from these ingredients, eating real food around the clock, throwing in natural detoxifying herbs, upping your water intake, and halting all workouts yields an average of 7-12 pounds of weight shed!!

                    5. Avoid Quick fixes

                    Keto, Whole 30, Intermittent Fasting, Juice Cleanses. They ALL work for a very brief moment in time, but the moment you reintroduce your old eating habits the weight comes back and even MORE will follow. Repeated “yo-yo dieting” actually slows the metabolism and causes our bodies to take a longer time losing the weight go-round…and there is always a next time, especially in a world where part of your job description is to meet weight standard requirements every six months.

                    It’s important to take a few moments to learn the reason for following a system that can be implemented and sustainable for life. Protein, Fats, and Carbs (PFC) are necessary macronutrients, and eating them together every 3 hours is ideal (a balanced shake will work when on the go) in order to create and maintain homeostasis within the body. It will release stored fat much faster this way! Be as strict or as relaxed as needed, but follow the guideline of PFC/3 as best you can year-round for better health and stable blood sugar.

                    For FREE downloadable recipes, sample meal plans, and step-by-step guides and supplement recommendations to assist with weight loss visit zp8withmary.com From there you may also reach out through email if interested in a FREE 30 minute health evaluation with Mary, a Certified Nutrition Coach through the International Board of Nutrition Fitness Coaching (IBNFC). Her nutrition programs, based on blood-sugar stabilization and macro-nutrient balance, are designed to permanently end dieting.

                    This article originally appeared on Military Spouse. Follow @MilSpouseMag on Twitter.

                    Mais links de que gostamos

                    MIGHTY TRENDING

                    3 Hwacha

                    China was fiercely protective of its gunpowder weapons during the 14th and 15th centuries. They held the most explosive advance in military technology since the bow and arrow, and they didn&rsquot plan on giving it up without a fight. China imposed strict embargoes on gunpowder exports to Korea especially, leaving Korean engineers to fend for themselves against a seemingly endless onslaught of Japanese invaders.

                    By the turn of the 16th century, however, Korea had more than stepped up to the gunpowder challenge and was churning out their own war machines, matching any of the spurting tubes defending the Chinese mainland. The Korean tour de force was the hwacha, a multi-rocket launcher that could fire over 100 rockets on a single match. The larger versions used by the king could fire closer to 200. These things were samurai busters, capable of taking down entire formations of densely packed samurai with each salvo.

                    o hwacha&lsquos ammunition was called a Singijeon, which was basically an exploding arrow. o Singijeon&lsquos fuses were adjusted based on the range of the enemy so that they would explode on impact. When the Japanese invasion began in full force in 1592, Korea already had hundreds of hwachas in operation.

                    Perhaps the greatest testament to the hwacha&lsquos power came during the 1593 Battle of Haengju. When Japan mounted an attack on the hilltop fortress with 30,000 troops, Haengju had barely 3,000 soldiers, civilians, and warrior monks in place to defend it. The odds were overwhelming, and the Japanese forces advanced with confidence, unaware that Haengju had one final trick up its sleeve: 40 hwachas mounted on the outer walls.

                    The Japanese samurai struggled up the hill nine times, only to be repelled again and again by a rain of pure hellfire. More than 10,000 Japanese died before they called off the siege, signaling one of the first major Korean victories in the Japanese invasion.


                    Fantastic Nuke

                    In a fantasy setting featuring Fantasy Gun Control, Medieval Stasis, and assorted other reasons why the culture would never develop anything even close to nuclear weaponry, there may be some form of magic attack so powerful and destructive that it is obviously a stand-in for nuclear weapons. This goes double if it leaves behind some sort of corrupting effect that lingers long after the spell itself is cast, a la fallout. Compare to how Automatic Crossbows stand in for guns. Kamehame Hadoken, Wave-Motion Gun, and Person of Mass Destruction are common ways of invoking it. Everything Makes a Mushroom is the usual result.

                    Elsewhere, this trope is about the deliberate insertion of something nuke-like into a civilization that hasn't even invented the steam engine yet. That isn't to say this trope doesn't ever appear in higher-tech settings, where it will instead be some nuke-like weapon that nonetheless isn't nuclear. Like Fantastic Racism and Fantastic Drug, in that the situation is obviously designed to parallel a real world situation, either in order to make some point about the issue or simply to allow all the connotations and associations of the real world situation to easily be applied to the fantastic. In Japanese works, may be related to Nuclear Weapons Taboo.

                    A Fantastic Nuke may set off a World-Wrecking Wave or precipitate The End of the World as We Know It. It's frequently also an Unholy Nuke based on The Dark Arts.

                    In some less subtle cases, there might even be some kind of reference to matter-energy conversion.

                    Finally, we should note that while it's not just nuclear weapons that create the infamous "mushroom clouds" (any sort of explosion or even rapid combustion can do this in still air it's just that the more powerful the explosion is the larger the cloud will be, the longer it will last and the less sensitive it is to disruption by wind, so it's primarily associated with muito large explosions such as nukes), if something in fiction is described or depicted doing so, it's a good bet the author/creator was attempting to invoke this trope, and it might qualify for Superweapon status.


                    Assista o vídeo: Feira Medieval de Lamego 2018